Empresários suspeitos de fraudar licitação para a prestação de serviços de limpeza urbana em Curitiba são alvos de uma operação da Polícia Civil do Paraná (PCPR) neste sábado (22). Desde as primeiras horas da manhã, policiais estão nas ruas para cumprir sete mandados de busca e apreensão na capital. Segundo a polícia, próximo de R$ 6 milhões foram bloqueados das contas bancárias de sete empresários e cinco empresas. Os investigados ainda foram proibidos de participar de novas licitações e contratar com poder público.

LEIA MAIS – Quadrilha vendia álcool gel falsificado ao governo do Paraná

As buscas estão sendo realizadas simultaneamente nas casas dos empresários e nas sedes da empresas na capital paranaense e na Região Metropolitana de Curitiba, em Colombo e Almirante Tamandaré. O objetivo dos policiais civis é apreender documentos, computadores e carros de luxo.

Ações ilegais

A PCPR apurou que os suspeitos teriam montado várias empresas para participar dos mesmos processos licitatórios, simulando concorrência entre estas e afastando a participação de outras firmas menores. Ainda com as investigações, as empresas pertencem a uma mesma família comandada por três irmãos e dois sobrinhos. 

LEIA AINDA – Bolsonaro diz que auxílio emergencial vai até dezembro, mas não será definitivo

Os empresários devem responder pelos crimes de fraude à licitação e associação criminosa, com penas de até sete anos de prisão, além de multa. A justiça ainda pode decretar o perdimento dos bens e a devolução dos valores recebidos do município.

E aí prefeitura?

Em nota, a prefeitura de Curitiba informou que colabora com a Polícia Civil na investigação. “Todas as documentações e informações solicitadas ao município foram apresentadas para que a Polícia Civil prossiga com o inquérito”, relatou a explicação.