Um decreto da Prefeitura de Curitiba, publicado nesta terça-feira (24) suspende temporariamente todas as cirurgias e procedimentos eletivos em hospitais públicos e privados da cidade. Segundo a administração municipal, a decisão foi tomada após comunicados feitos por hospitais particulares alegando que não receberiam mais pacientes com covid-19 por causa da lotação feitos pelos hospitais Sugisawa, Nossa Senhora das Graças e Marcelino Champagnat.

A decisão ocorre também por causa do avanço dos casos de coronavírus da cidade. Nesta terça-feira (24), os números aumentaram e Curitiba chegou aos 11,5 mil casos ativos. Cirurgias eletivas são aquelas que não têm urgência.

“O aumento já tendenciava um reflexo em internamentos, por isso adiantamos a suspensão das cirurgias eletivas no SUS “, esclareceu a secretária municipal da Saúde, Marcia Huçulak. No dia 17 de novembro, a prefeitura suspendeu as cirurgias eletivas em hospitais do SUS na cidade.

Exceções 

Podem ser realizados procedimentos cirúrgicos eletivos essenciais, aqueles que podem gerar piora do quadro clínico, nas especialidades de cardiologia, urologia, oftalmologia, oncologia e nefrologia, além das cirurgias inadiáveis pós-traumas. Segundo a prefeitura, caso excepcionais deverão ser avaliados pela Secretaria Municipal da Saúde.

A medida entrou em vigor a partir da 0 hora do dia 25 de novembro e terá validade de 14 dias.