Com ônibus cheio, o prefeito Rafael Greca (PMN) deu a acelerada inicial para o começo da circulação dos novos ligeirões na manhã desta quarta-feira (28). Polêmicos, pois causaram a revolta dos moradores da região da Praça do Japão, no Água Verde, os novos ônibus prometem desafogar a lotação da linha Santa Cândida/Capão Raso com menos tempo de trajeto.

Circulando do Terminal do Santa Cândida até a Praça do Japão, os ligeirões vão aumentar a quantidade de gente que vai poder usar o transporte público. “A cidade é maior do que o nosso ego, por isso não poderíamos deixar de implantar essa benfeitoria. Podemos ter a Praça do Japão e o ligeirão”, defendeu o prefeito, em entrevista à Tribuna do Paraná.

Acompanhado da vice-governadora, Cida Borghetti, o prefeito disse que o ligeirão, que começou sendo conhecido como azulão na gestão de Gustavo Fruet, voltou a ser vermelho para voltar às origens. “Por enquanto, peço um pouco de paciência dos passageiros, porque ainda estamos no ajuste. Até uma nova cozinheira erra no sal no seu primeiro dia, mas estamos contentes com o que vimos”.

cida borghetti e rafael greca ligeirão
Prefeito sentou ao lado da vice-governadora. Foto: Gerson Klaina.

Os novos ônibus, de acordo com o prefeito, já estão vindo com câmeras instaladas. Além disso, os veículos seguem um padrão diferente de fabricação, que tem um dispositivo que faz com que o ônibus não sacuda tanto. “Também possuem um componente, que é colocado junto ao motor, que faz com que a fumaça seja anticancerígena”.

Passagem sobe?

Junto com a implantação do ligeirão, começou a ventilar a possibilidade de que a passagem aumentasse, mas o prefeito negou que isso vá acontecer. “Para desespero das viúvas do antigo prefeito, não vai subir. Quando fizemos a capitalização dos fundos de Curitiba, já deixamos verba destinada para comprar os novos ônibus, então não vai fazer com que suba a passagem”, explicou. No começo de março a Tribuna falou sobre o não aumento da passagem.

Para o prefeito, ônibus cheio aponta um bom serviço. “Como é um ônibus a cada dois minutos, a dica é esperar o próximo, não precisa entrar se estiver muito lotado”, comentou, destacando que a ideia é de que quem vem de Colombo para o Centro de Curitiba pegue o ligeirão. “Já quem precisa parar antes do Centro, pega o outro que vai parando mais vezes. Assim desafogamos as linhas”.

Foto: Gerson Klaina.
Foto: Gerson Klaina.

Estendendo o caminho

Além do valor da passagem, o medo dos usuários da linha Santa Cândida/Capão Raso é de que sejam diminuídos os veículos que param mais vezes. “A tigrada que é contra disse que vou diminuir as outras linhas, mas não vamos diminuir. Nossa intenção é passar de 126 mil passageiros por dia para 156 mil passageiros”, destacou Greca.

A princípio, a linha do ligeirão segue até a estação-tubo Bento Viana. “Mas queremos fazer chegar ao Pinheirinho até o final do ano. Nesse momento vieram 25 ligeirões, mas vão vir até o final do ano 175 novos ônibus. Para desespero dos que me querem mal na internet, vai ficar muito bom o sistema”, avaliou o prefeito, completando que, até o fim da gestão, vão ser 450 novos ônibus.

Metrô não vem

À Tribuna do Paraná, o prefeito disse que a ideia é fazer com que somente os ônibus atendam às necessidades dos curitibanos. “Vamos também fazer o possível para dar uma bilhetagem moderna para o sistema. Fui buscar o metrô em Brasília, em 2016, mas me disseram que o dinheiro nunca existiu”, detalhou.

Sem o metrô, o prefeito considerou que, se investir em mais ônibus, o transporte vai melhorar e a qualidade de vida das pessoas também. “Conversei com Alvin Toffler (escritor e futurista americano) e ele me disse que era muito melhor ter uma rede de ônibus do que uma rede de metrô congelado”.

Miguel trabalha há mais de 40 anos atrás do volante. Foto: Aniele Nascimento.
Miguel trabalha há mais de 40 anos atrás do volante. Foto: Aniele Nascimento.

Emoção e saudosismo

A estreia do ligeirão com a presença do prefeito foi acompanhada por antigos colaboradores do transporte público, passageiros que estavam no terminal e também uma equipe técnica da empresa responsável pelos novos ônibus. Emocionado, o motorista Miguel Taborda, que tem 68 anos e há 47 atua ao volante dos biarticulados, disse que a novidade só tem a acrescentar. “Quando entrei, em 1972, era tudo muito diferente. Ver a evolução do transporte é muito bom. Antes os ônibus eram pequenos, sempre lotados. Isso agora é conforto, até pode sair lotado, mas leva muito mais gente”.

Aposentado desde 1995, o motorista contou que sequer parou de trabalhar. “Não aguentei ficar em casa, gosto muito do que eu faço. Muita gente me pergunta por que, mas eu gosto de trabalhar”, disse Miguel, que revelou que sua vida se fez em torno do biarticulado. “Fiz amizade com o povo no dia-a-dia. Esses dias fui surpreendido por um casal, que tinha ido embora para o Rio de Janeiro. Eles vieram atrás de mim depois de 20 anos, quando voltaram a morar em Curitiba. Isso só mostra que fiz muitos amigos”.

https://www.tribunapr.com.br/noticias/curitiba-regiao/ligeirao-santa-candidapraca-do-japao-comeca-circular-nesta-quarta-feira/