O bloquinho de papel do EstaR está com os dias contados em Curitiba. Se os prazos previstos pela Urbs forem cumpridos, até outubro de 2019, as vagas do estacionamento regulamentado de Curitiba serão garantidas e pagas por um aplicativo no telefone celular. De quebra haverá o aumento no valor. E ainda está prevista outra mudança: acabará a notificação de cinco dias para quem estacionar irregularmente. Ou seja, a partir da implementação do novo sistema, a multa será aplicada imediatamente por agentes da Setran.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

A licitação está em fase de homologação e a empresa vencedora – a espanhola eysa – deve assinar o contrato até o fim deste mês. A partir disso, terá 180 dias corridos para implantar o sistema com cinco anos de vigência no total.

Os motoristas farão download do app batizado de EstaR Digital e por ele poderão comprar créditos para estacionar nas vagas. Quando desejar ocupar um espaço, o motorista irá verificar a sinalização da área onde ele está e selecionar no aplicativo, que descontará o crédito de acordo com o tempo de uso. A plataforma, então, bloqueará a vaga para outros usuários e informará aos fiscais que ela está ocupada.

O aplicativo vai avisar o motorista do tempo de uso. E caso seja necessário, ele poderá renovar o período diretamente pelo celular, sem precisar retornar à vaga. Mantém-se, porém, a duração máxima de uso de duas horas. Em alguns locais, o limite é de uma hora.

Os créditos poderão ser comprados por aplicativos no celular e também na rede credenciada. A ideia da Urbs é permitir que comerciantes das regiões onde há EstaR possam vender créditos. Além disso, alguns tótens devem ser instalados nos locais onde não há comércio.

“Onde estiver, o motorista vai poder comprar a vaga no estacionamento e renovar pelo aplicativo ou pela rede credenciada”, garante o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto. Segundo ele, haverá um período de adaptação. Quem tiver o talão de papel, por exemplo, poderá trocar por créditos para poder usar o novo sistema.

Alta do preço e multa imediata

Com o novo sistema, o preço também vai subir. Segundo a Urbs, o valor ainda não está definido. Em compensação, o motorista poderá pagar de forma fracionada, a cada 15 minutos. Ou seja, se um carro permanecer na vaga por 30 minutos, pagará proporcionalmente e não a hora inteira – hoje o valor é de R$ 2 por hora.

A partir da implantação do sistema, a fiscalização também ficará mais rígida e a aplicação da multa será imediata. Hoje, quando um motorista estaciona irregularmente em uma vaga de EstaR, ele precisa comprar um talão cheio ao preço de R$ 22 no prazo de cinco dias úteis. Caso não pague, aí sim leva multa no valor de R$ 127,69 e ainda perde cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Com o sistema, será abolido esse “perdão”.

“Essa é uma medida que já deveria ter sido extinta. Agora vai ser obedecido o Código Brasileiro de Trânsito. A partir do momento que estiver irregular, tem ali a autuação. O fiscal nem terá a opção de não aplicar a multa”, explica Maia Neto.

Avó e neta ficam gravemente feridas após serem atropeladas, ao descerem do busão