enkontra.com
Fechar busca

Curitiba e Região

Muita multa

Blitze pegaram mais de 4 mil motoristas em Curitiba em 2018

No último ano, foram 4.133 multas aplicadas em blitze em Curitiba. Três a cada quatro infrações são gravíssimas

  • Por Gazeta do Povo
Foto: Gerson Klaina/Arquivo/Tribuna do Paraná
Foto: Gerson Klaina/Arquivo/Tribuna do Paraná

Um em cada três motoristas abordados em blitze dentro de Curitiba em 2018 foram multados. E das 4.133 multas aplicadas no período, 75% (3.099) foram por irregularidades gravíssimas, rendendo ao condutor multa de R$ 293,47 e sete pontos na carteira.

Segundo a Superintendência Municipal de Trânsito (Setran), o delito mais comum registrado nas ruas da capital durante todo o ano passado foi dirigir carro sem licenciamento – que é gravíssimo. O Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) é o documento que, na prática, diz se o veículo tem ou não autorização para circular. E mesmo que desde 2016 não seja mais de porte obrigatório, não significa que não tenha que estar em dia. “Nas blitze o agente ou guarda consegue checar pelo sistema on-line se veículo tem restrições para transitar”, alerta o secretário da Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel.

Completam a lista das violações de trânsito mais comuns na capital dirigir sem ter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou estar com a CNH vencida, todas de natureza gravíssima.

Em 2018, várias casos como estes viraram notícias. Um deles foi com o deputado federal reeleito Hidekazu Takayama (PSC-PR), que se envolveu numa briga de trânsito e nem ao menos poderia estar dirigindo porque estava com a CNH vencida há mais de um ano.

Além dos mais de 3 mil delitos gravíssimos, agentes da Setran e da Guarda Municipal – que no ano passado passaram a ter o direito de multar condutores em desacordo – aplicaram ainda 476 multas de infração média e 227 de leve.

Direção e álcool

Com o início do uso dos testes de bafômetro nas ruas da capital, foram feitos 538 exames ao longo do ano, sendo que 68 indicaram que o condutor tinha ingerido bebida alcoólica. Em três abordagens os condutores se recusaram a fazer o exame. Nessas situações, o procedimento é o mesmo para os casos que indicaram a presença do álcool no sangue: encaminhamento para a Delegacia de Delitos de Trânsito.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias de hoje sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Bucha e detergente! Prefeitura dá um trato nas placas de trânsito de Curitiba

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

17 Comentários em "Blitze pegaram mais de 4 mil motoristas em Curitiba em 2018"


J Carvalho
J Carvalho
5 meses 7 dias atrás

Hoje o negócio é câmera no automóvel e no capacete da moto, e se o agente solicitar que desligue, o cidadão assim o faz se quiser, pois uma vez que o agente está em prestação de serviço a lei é clara, que toda abordagem poderá ser gravada.

J Carvalho
J Carvalho
5 meses 7 dias atrás

Como já fiz por 2 vezes pois possui-a as imagens que provaram sem sombra de duvidas a tentativa de extorsão por parte do agente, e quando não recebeu o que queria, multou. Recorri e ganhei em ambas.

J Carvalho
J Carvalho
5 meses 7 dias atrás

Brasil é o único Pais no mundo onde existe Blitz, desconheço qualquer outro, não vejo nenhum problema em ter, até por que meus veículos estão em dia e moto também, o que fico de cara é alguns agentes que arrumam problemas onde não existem, e depois você ter que ir buscar seus direitos.

Tiago Ribas
Tiago Ribas
5 meses 7 dias atrás

Penso eu que deveria ter mais Blitz em Curitiba!

Flavio Steiner
Flavio Steiner
5 meses 8 dias atrás

Quando o governo tá com problema de caixa, as blitze aumentam muito… é a preocupação com a segurança no trânsito…

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas