Entre os presos nesta sexta por lavagem de dinheiro na Operação Furacão executada pela Polícia Federal, está o nome da corregedora da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Suzi Pinheiro Dias de Matos. Ela era delegada federal cedida para à ANP, onde exercia o cargo de corregedora há cerca de seis meses. Antes disso, a delegada trabalhava na assessoria de inteligência da ANP, na área de monitoramento de distribuidoras de combustíveis, incumbida de evitar fraudes no setor.

Na operação foram presas 25 pessoas. Entre elas está o desembargador federal José Eduardo Carreira Alvim, que até quarta-feira ocupava a vice-presidência do Tribunal Regional Federal do Rio. Pela tradição, ele deveria ter sido eleito presidente da casa para um mandato que se iniciou quarta-feira, mas no dia 1º de março seu nome foi rejeitado por 15 dos 24 desembargadores do tribunal.

Um outro desembargador federal, José Ricardo Regueira, também está entre os presos, além do procurador regional da República, João Sérgio Leal Pereira, o delegado federal Carlos Pereira da Silva, e a cúpula do jogo do bicho no Rio: Aniz Abrãao David, o Anísio da Beija Flor; Antônio Petrus Kallil, o Turcão, e Airton Guimarães Jorge, capitão Guimarães, presidente da Liga das Escolas de Samba, do Rio, e seu sobrinho Júlio Guimarães.