Brasília – O consumo de eletricidade subiu 3,1% no país de janeiro a junho deste ano, na comparação com o mesmo período do ano anterior. A expansão significa que o Brasil utilizou 171.982 mil gigawatts-hora no primeiro semestre do ano. Os dados estão no levantamento divulgado esta semana pelo presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim.

Os setores que lideram o crescimento são o comercial (aumento de 4,3%), seguido do residencial, com alta de 3,5%. Nos três primeiros meses do ano, o consumo de energia em todos os setores cresceu 4,5%. No último trimestre, entretanto, houve uma desaceleração e o consumo de energia cresceu apenas 1,7%.

Segundo Tolmasquim, a queda foi causada pelas baixas temperaturas, os feriados e os jogos da Copa do Mundo. As baixas temperaturas reduziram o uso de ar condicionado. Já os feriados e a Copa do Mundo afetaram a atividade industrial e o consumo de energia no comércio. Nesse período, as classes comercial e industrial apresentaram crescimento pouco significativo, com 1,6% e 1,1% respectivamente. Segundo o presidente da EPE, o recuo na produção industrial e a estiagem que atingiu o sul do Brasil também afetaram o consumo de energia elétrica.

Tolmasquim afirmou que está otimista sobre a reação dos setores produtivos e o conseqüente aumento do consumo neste segundo semestre. ?Nós deveremos ter um reaquecimento porque a previsão é de uma atividade industrial mais intensa. Estamos projetando, ainda, um crescimento da economia entre 4% e 4,5%, e um crescimento no consumo de energia em torno de 4,4% a 5% no ano?, afirmou.

No primeiro semestre, foram incorporados aos sistemas de distribuição das concessionárias 998 mil novos consumidores, com uma média de 165 mil ligações por mês. O Programa Luz para Todos do Governo Federal foi responsável por 283 mil ligações.