O pessimismo do consumidor com a economia do país é o maior desde o início do governo de Luiz Inácio Lula da Silva. A constatação é da Sondagem da Expectativa do Consumidor, realizada de 1º a 25 de abril,divulgada hoje pela Fundação Getúlio Vargas. Para 40,91% dos entrevistados, a situação do país piorou.

Na comparação com a última pesquisa, realizada em janeiro, houve ?uma sensível deterioração? no sentimento do consumidor quanto à evolução da economia. Os resultados também foram piores do que os apurados em abril de 2003, quando a economia caminhava para o aprofundamento de um quadro recessivo, informa a Fundação.

Para 59,1% dos chefes de família consultados, a situação econômica do país, no momento, é melhor ou igual à de seis meses atrás. Este indicador vinha apresentando evolução favorável desde a primeira pesquisa, realizada em outubro de 2002 e, em janeiro deste ano, teve registro positivo recorde, quando 79,3% dos entrevistados optaram por uma destas duas opções de resposta. Entre os consumidores insatisfeitos, praticamente dobrou a parcela dos que acham a situação atual pior do que há seis meses: de 20,7%, em janeiro, para 40,9%, em abril.

O coordenador de Análises Econômica da Fundação Getulio Vargas, Salomão Quadros, destacou que a pesquisa mostra ?desencantamento generalizado” em todas as faixas de renda pesquisadas. “Este percentual de 40,91% dos entrevistados que consideram a situação pior só foi superado em outubro de 2002, no governo Fernando Henrique Cardoso, quando 48,15% dos entrevistados consideravam a situação pior?, revelou.