Os brasileiros correm mais risco de morrer por arma de fogo que a média dos demais países. Segundo a organização não governamental Viva Rio, que citou dados da Organização das Nações Unidas (ONU), o Brasil, com apenas 2,8% da população mundial, responde por cerca de 11% dos homicídios por arma de fogo no mundo. Só no ano passado, cerca de 40 mil pessoas morreram vítimas dessas armas.

O relatório divulgado pela ONG revela que, em Brasília, 30% dos atendimentos no setor de emergência dos hospitais são de ocorrências com arma de fogo. A Viva Rio destaca que, enquanto uma bala custa R$ 1, o gasto diário com a internação de uma pessoa ferida a tiro fica em torno de R$ 245.

Domingo (14), com a presença do ministro da Justiça, Marcio Thomaz Bastos, uma caminhada contra as armas de fogo vai ocupar toda a Avenida Atlântica, em Copacabana. A manifestação, promovida pela ONG, reunirá também parentes de vítimas de armas de fogo, atores da novela ?Mulheres Apaixonadas? e representantes de várias entidades civis.