Um universitário foi preso na noite de ontem na capital paulista acusado de aplicar golpes na Vivo, empresa operadora de telefonia celular. José Laurentino Lopes Bezerra, de 26 anos, ex-funcionário da empresa e estudante de Educação Física, conhecido como "Cubano", foi preso pela Polícia Civil e se valia da facilidade de acesso a informações de clientes para aplicar os golpes.

Com os dados, ele entrava em contato com atendentes da operadora e se fazia passar pelo titular da linha, dizendo não ter interesse em mantê-la. Ao notar que o cliente tinha bônus acumulados, o atendente o convencia a não cancelar a linha. Para isso, oferecia mais bônus, que eram trocados por um aparelho novo. O telefone era enviado para o endereço do cliente.

Os verdadeiros titulares da linha recebiam o aparelho, mas logo eram contatados pelo estudante, que informava ter ocorrido um engano e que o novo celular seria retirado. Aí entrava em cena o motoboy Ugo Ramirez Santos, de 26 anos, comparsa do universitário, que ia até a residência do cliente e recolhia o aparelho.

O esquema foi descoberto porque, para azar dos estelionatários, um dos clientes que deveria devolver o novo celular era um juiz de Direito, que desconfiou da história e ligou para a operadora. Como a empresa negou que tivesse determinado a retirada do aparelho, a vítima acionou a Polícia. José Laurentino Lopes Bezerra, que já tinha passagens por roubo e formação de quadrilha, e o motoboy foram autuados em flagrante por estelionato.