Tião Viana não mexe na Previdência

Brasília – O senador Tião Viana (PT-AC) apresentou ontem, após a Ordem do Dia no plenário da Casa, o relatório final sobre a reforma da Previdência. Segundo o líder do governo no Senado, Aloízio Mercadante (PT/SP), e o líder do PFL, José Agripino (RN), o parecer de Viana preserva o texto aprovado em dois turnos pelos deputados. A manutenção do texto foi, segundo Mercadante, uma alternativa para manter aberto o diálogo com a oposição e com os governadores dos estados. A estratégia foi criticada por José Agripino, que cobra mudanças para que a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprove a reforma e a libere para análise do plenário. “Não vamos votar no escuro. Para aprovar na CCJ é preciso avançar em alguma coisa”, disse. Ao chegar para audiência pública da Comissão de Assuntos Sociais (CAS), Viana reconheceu que existe hoje forte pressão para alterar o tema do subteto do funcionalismo estadual, as regras de transição, sobretudo para quem começou a trabalhar muito jovem, e a isenção de aposentados com mais de 70 anos que tenham alguma doença grave da taxação de 11%.

Voltar ao topo