Um crime pode ter sido praticado em represália pelas investigações que estavam sendo feitas por um radialista em Caicó (RN). Francisco Gomes de Medeiros, conhecido como F Gomes, de 46 anos, estava sentado na calçada de casa na noite de ontem quando uma moto se aproximou e um homem fez seis disparos. A esposa dele e dois filhos estavam dentro de casa quando escutaram os tiros.

Minutos antes do crime, o radialista estava conversando com o cunhado Ronaldo Santiago. Quando ele se afastou do jornalista para ir embora, foi o momento em que um homem em uma moto se aproximou e atirou. À imprensa, Ronaldo disse que ainda viu o assassino de costas. “Ele foi morto porque clamava por Justiça. Não se cansava de combater o crime, principalmente o tráfico e drogas”, disse.

F Gomes era conhecido em todo Rio Grande do Norte pelo trabalho que realizava na área policial. Ele apresentava o programa “Comando Geral”, na Rádio Caicó, e ainda tinha um blog, onde o principal destaque eram as matérias policiais.

O governador Iberê Ferreira cancelou a agenda em Brasília e foi a Caicó acompanhar as primeiras investigações. Ele disse que “é questão de honra desvendar o crime”. Para apurar o caso foram designados três delegados especiais: Ronaldo Gomes, Lenivaldo Pimentel e Célio Roberto, que já estão no município. A polícia não tem dúvidas de que o assassinato de F Gomes foi uma “execução”. O procurador geral de Justiça, Manoel Onofre Neto, confirmou que designará uma comissão de três promotores para acompanhar as investigações do assassinato.