Brasília – O presidente da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), brigadeiro José Carlos Pereira, disse que é importante haver uma redistribuição das linhas aéreas porque o espaço é limitado:  "Não dá para aumentar espaço. Então, tem que aumentar o tempo", afirmou o brigadeiro, após participar de reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Apagão Aéreo, no Senado.

Segundo Pereira, não é uma questão de excesso de linhas, mas de distribuição. Para ele, as empresas farão o que for melhor para elas, e cabe ao governo fazer com que isso seja feito com segurança e de olho no consumidor.

?As empresas farão tudo aquilo que for  melhor para elas. As empresas trabalhararão para obter lucros cada vez maiores e elas só vão obter lucros com clientes. Então, as empresas realmente usarão toda a sua capacidade mercadológica para isso. Cabe a nós, o poder público, fazer com que isso seja feito com segurança e respeitando o consumidor?, afirmou.

De acordo com Pereira, os principais horários de pico nos aeroportos de Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro são entre as 7 e as 10 horas e entre as 18 e as 22 horas.

No início desta semana, autoridades do setor aéreo se reuniram Ministério da Defesa, em Brasília, com representantes de diversas companhias para dar sugestões sobre os problemas de tráfego aéreo e indicar prioridades, a fim de definir a pauta da próxima reunião do Conselho Nacional de Aviação Civil (Conac), na segunda quinzena de julho.

A CPI ouviu, na manhã de hoje, em sessão reservada, além do brigadeiro José Carlos Pereira, o presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Milton Zuanazzi; os diretores do Departamento de Controle de Espaço Aéreo (Decea), major-brigadeiro-do-ar Ramon Borges Cardoso, e do Departamento de Política de Aviação Civil do Ministério da Defesa, Rigobert Lucht.