A Petrobras vai restabelecer o abastecimento de gás natural no Rio de Janeiro, por ordem do Tribunal de Justiça (TJ-RJ). A estatal informou que foi notificada esta manhã e tem prazo de quatro horas, a partir do aviso, para normalizar o abastecimento. A empresa não informou se vai recorrer da decisão do TJ.

A liminar do Tribunal obrigando a Petrobras a regularizar o abastecimento foi obtida pelo governo do Estado do Rio em ação impetrada ontem. A medida não é extensiva ao Estado de São Paulo onde o gás também passa por racionamento.

Segundo a CEG, companhia distribuidora de gás no Rio, pelo menos 1,3 milhão de metros cúbicos deixariam de ser entregues hoje no Estado, o que representa um corte de 17% no suprimento. Em São Paulo, a Comgás informou que teria de reduzir a entrega entre 600 e 800 mil metros cúbicos de gás por dia. O volume representa cerca de 5% do total fornecido pela Comgás, mas a empresa informou que apenas sete clientes seriam atingidos – e que eles poderiam substituir o gás por óleo combustível.

Ontem, a Petrobras informou ao mercado que havia sido obrigada a cortar seu fornecimento devido à expansão do consumo e à oferta restrita do gás natural. No Rio, empresas do setor químico e de vidros tiveram de fechar as fábricas no início da manhã, por causa da interrupção no suprimento. Até postos de Gás Natural Veicular (GNV) ficaram sem combustível para atender os consumidores.