Rio – O Gol prata que teria sido usado na chacina da Baixada Fluminense foi periciado ontem no pátio do Instituto de Criminalística Carlos Éboli, no centro do Rio. Os peritos encontraram três estojos de pistola ponto 40, mesmo tipo de calibre da arma usada no crime, um chip de telefone Nextel e dois fragmentos de impressão digital no retrovisor interno e na placa traseira do veículo. ?O retrovisor interno pode ter sido tocado pelo proprietário do Gol, que andou com o carro nos últimos dias. Já o da placa, temos muita esperança que seja dos criminosos. Eles retiraram a placa antes de cometer o crime e a recolocaram ao devolver o carro ao seu dono?, disse o chefe da Polícia Civil, Álvaro Lins. O proprietário do veículo está sendo considerado como testemunha e não teve o nome revelado. O carro foi emprestado ao soldado da PM Carlos Jorge Carvalho, reconhecido por testemunhas como um dos quatro executores da chacina. O Gol será submetido a exame com luminol, substância que revela vestígios de sangue mesmo que o carro tenha sido lavado.