Rio – Com o filho de 14 anos assassinado a tiros por traficantes, o vigilante Alfredo Timóteo, de 57 anos, resolveu descer o Morro São José Operário, no Catumbi, próximo ao centro do Rio, com o corpo do jovem num carrinho de supermercado. A cena aconteceu na madrugada de ontem e lembrou outra, vista na favela da Rocinha há pouco mais de um mês, quando policiais carregaram o corpo de um homem num carrinho de mão. Alegando que ouviu da polícia que o carro do Corpo de Bombeiros não sobe morros de madrugada, Timóteo entregou o corpo do filho num posto da PM num dos acessos ao morro. O menor C.R.T. estava em casa com o pai e o irmão de 8 anos, quando foi morto por um primo, identificado como Edilon Siqueira Santos, de 32 anos, que invadiu a casa na companhia de oito homens armados pouco depois da meia-noite.