A indústrias de laticínios Nutrilat começou a remover nesta segunda-feira (5) as 725 mil caixas de leite que havia enterrado em duas áreas particulares no município de Fazenda Vilanova, no Rio Grande do Sul. A operação é realizada por 20 trabalhadores, duas retroescavadeiras, cinco caminhões e uma draga pequena e prossegue por pelo menos mais dois dias. Depois de desenterradas as caixas serão abertas e o leite retirado e enviado para estações de tratamento em Estrela (RS). As embalagens vazias serão destinadas a um aterro licenciado em Estância Velha.

As caixas de leite foram encontradas pela Polícia Ambiental do Vale do Taquari e pela Fundação de Proteção Ambiental do Rio Grande do Sul (Fepam) no dia 28 de outubro, após denúncias anônimas. A empresa alegou que as embalagens e seu conteúdo foram enterrados depois de um acidente que amassou as caixas, tornando a apresentação do produto inadequada à oferta para o consumo, e reconheceu como equívoco a destinação dada ao lote de leite. Foi aplicada multa de R$ 24,4 mil pelo descarte em área não licenciada e a Nutrilat se comprometeu a desenterrar todos os volumes e encaminhá-los a estações de tratamento e aterros regulares até quinta-feira.

O Ministério da Agricultura confirmou que houve o acidente e que a Nutrilat havia sido orientada a descartar as caixas danificadas do produto, negando qualquer vínculo do caso com a adulteração de leite de outras empresas apontada recentemente pela Operação Ouro Branco da Polícia Federal.