O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta terça-feira (4) que continua aberto para retomar as negociações para a votação da prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). "Não fechamos a porta", disse. Porém, ele ressaltou que não fez nenhuma proposta nova ao partido e negou que tenha proposto antecipar para 2010 o aumento de recursos para a área de saúde previstos para 2011, primeiro ano do mandato do sucessor do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Não fiz nenhuma proposta nova. Nós tínhamos negociado no passado uma agenda extensa, de seis pontos, e do meu ponto de vista ela continua válida. Podemos retomar a qualquer momento as negociações se assim eles desejarem", disse o ministro, acrescentando que "a bola está com eles". Mantega disse que há muita especulação em torno da CPMF e reforçou que será uma complicação para os governadores o fim do tributo. "Os governadores do PSDB estão demonstrando sensibilidade. É preciso que eles se comuniquem com os senadores e transmitam isso.