Um novo golpe, disseminado pelo WhatsApp, promete ressuscitar perfis do Orkut, rede social do Google, muito popular no Brasil, encerrada em 2014. Em vez do prometido, o golpe direciona as vítimas ao download de aplicativos de origem duvidosa.

O link espalhado pelo WhatsApp vem acompanhado de mensagens que prometem exibir fotos e depoimentos antigos do Orkut. Ao clicar nele, a vítima cai em uma página muito similar à de outros golpes, como a que prometia um ovo de Páscoa da Kopenhagen e temas de times de futebol, com o logo e as cores do Orkut, uma contagem regressiva e três perguntas bastante simples: “você já teve conta no Orkut?”, “Já postou foto no Orkut?” e “Tem amigo que usava Orkut?”.

Ao respondê-las, o site “analisa” as respostas e pede para que a vítima compartilhe o link co dez amigos ou grupos no WhatsApp. Fazendo isso, alega, o perfil será exibido.

É virtualmente impossível que o perfil do antigo Orkut seja exibido. Por um lado, porque a rede social não existe mais — mesmo o acervo público de comunidades, mantido no ar após o fim do Orkut, foi removido da web pelo Google em maio. E, mesmo que sim, o site não pede nenhuma identificação que permitiria associar a vítima a seu antigo perfil na rede social.

Segundo a PSafe, empresa de segurança que alertou a existência do golpe, 500 mil pessoas acessaram o site fraudulento nos últimos dias.

Entre as consequências, alerta a PSafe, golpes do tipo podem cadastrar a vítima em serviços pagos de SMS (para roubar créditos), induzir o usuário a baixar apps maliciosos ou capturar informações pessoais.

As orientações para não cair neste golpe são as mesmas de outros casos similares: desconfie de links com promessas mirabolantes recebidos pelo WhatsApp e, na dúvida, não proceda com esses cadastros e questionários.