Não acredite em tudo que lê’. A frase tão batida ainda é o melhor conselho para quem usa o WhatsApp e o Facebook com frequênciaAtualmente, as duas plataformas digitais são as que mais propagam notícias e informações falsas, as chamadas ‘fake news’.

Só no Brasil 100 milhões de usuários estão expostos as mais diferentes postagens maliciosas e de má-fé, que tem por intuito confundir, alarmar e até criar pânico na população.

E uma grande quantidade de pessoas acredita nesses boatos e acabam compartilhando nas redes sociais, ajudando a espalhar o conteúdo inverídico de forma rápida. Dois dos assuntos preferidos das ‘fake news’ são o universo automotivo e a mobilidade urbana.

Se a ‘notícia’ é algo que mexe com o bolso do motorista, por exemplo, a tendência é acreditar rapidamente na história. A difusão é ainda maior quando a mensagem avisa sobre um novo método de aplicar multas.

Selecionamos dez pegadinhas que circularam pela web nos últimos meses e as explicações que provam que não passaram de balelas para iludir as pessoas, especialmente àquelas que não tem por hábito checar a informação em outras fontes antes de dar o clique de compartilhamento.

1. CNH é cancelada automaticamente após 30 dias vencida!

A mais recente pegadinha que circula pelas redes sociais é uma balela repassada desde 2008. Ela ‘informa’ que o Senado aprovou uma lei que cancela automaticamente a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) com mais de 30 dias de vencimento.

Senado CNH-ID000002-1200x800@GP-Web

Neste caso o motorista teria de fazer todo o processo de habilitação novamente como se fosse requerer a primeira habilitação, isto é, realizar as provas teóricas e práticas e exames médicos e psicológicos.

Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê no seu artigo 162 que dirigir com a CNH vencida há mais de um mês é considerada infração gravíssima, passível de multa (R$ 249,47), recolhimento da carteira e retenção do veículo até a apresentação de condutor habilitado.

Mas o que vence é o exame de aptidão física e mental, que pode ser renovado mesmo depois de 30 dias de vencida a CNH.  E também não há nenhum projeto em tramitação no Senado que trate do assunto.

Aliás, o projeto de lei 155/2017 citado na falsa notícia não está relacionado à carteira de habilitação, mas sim à garantia da presença de tradutores e intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras) em repartições públicas.

2. As câmeras estão de olho!

Segundo a mensagem repassada, câmeras de última geração identificam a infração e avisam viaturas estrategicamente posicionadas para fiscalizar os automóveis e autuar os condutores.

Houve diferentes versões desta ‘alerta’ conforme a região do país, como Rio de Janeiro, Teresina e Belo Horizonte (foto).

Capitais como São Paulo e Cuibá já implantaram dispositivos capazes de capturar imagens internas do veículo em movimento, flagrando se os ocupantes estão sem cintos, por exemplo. Mas a informação é usada para a segurança passiva do trânsito, com intuito de minimizar as chances de ocorrer acidentes, sem o objetivo de punição com multa.

Cameras olhando 2-kjRG-U2023141082097yB-1024x927@GP-Web

3. Videomonitoramento em todo Brasil!

Mais um boato relacionado à chamada ‘indústria das multas’. Desta vez a filmagem de uma reunião viralizou entre maio e junho deste ano. Ele mostra a apresentação de um sistema de videomonitoramento que, supostamente, serviria para aplicar multas em todo o Brasil.

A central realmente existe e está operando desde junho em Goiás. No entanto, o governo do cerrado informou que aplicação é destinada a registros em tempo real de infrações, roubos e causas de acidente.

No vídeo uma pessoa diz ao governador Marconi Pirillo, presente ao evento, que o videomonitoramento servirá para flagrar infrações e aplicar multas remotamente, o que não é verdade segundo os responsáveis pelo centro de controle goiano.

De qualquer forma, cabe ao leitor concordar ou não com a medida adotada em Goiás. O certo é que infringir as leis de trânsito ou cometer crimes são passíveis de punições.

Confira o texto  e o vídeo que viralizaram no Facebook e WhatsApp:

Começou a instalação do videomonitoramente em todo o Brasil. Veja como você vai tomar multas de monte e perder a habilitação. Recomendo que assista e compartilhe… agora a coisa vai ficar preta…”

4. Ingerir açúcar após tomar vinho engana bafômetro!

Um vídeo que circulou pela web recentemente mostrava um homem bebendo vinho e depois ingerindo uma colher de açúcar. Segundo ele, a receita seria capaz de enganar o bafômetro!

O rapaz toma um gole de vinho e em seguida faz o teste num aparelho, que acusa positivo. Depois consome o açúcar e volta a fazer a medição, que dá negativa. “Daqui pra frente, bebam e carreguem 1 kg de açúcar dentro do carro”, recomenda. Isso não é verdade.

Especialistas em análises toxicológicas explicam que no momento em que o indivíduo ingere bebida alcoólica, ou mesmo um enxaguante bucal com álcool na composição, o álcool que fica boca pode ser medido pelo etilômetro, inclusive numa porcentagem bastante alta.

Instantes depois este álcool na boca evapora (até mais rápido devido à ação do açúcar) e o teste seguinte registra zero. Vale ressaltar que um gole não é o suficiente para o álcool chegar à corrente sanguínea, sair pelo ar dos pulmões e ser medido.

Tanto que a lei permite ao condutor flagrado no bafômetro realizar um novo teste 15 minutos depois. Se for apenas o álcool na boca, a medição dará zero. Agora, em caso de embriaguez o resultado será mantido.

Soma-se ainda ao fato de o etilômetro usado no vídeo ser simples e, por isso, menos eficiente que os modelos usados pelas autoridades policiais, homologados pelo Inmetro (foto).

Bafometro-ID000002-1200x800@GP-Web

Lembre-se que o motorista que for pego dirigindo alcoolizado está sujeito à multa de R$ 2.934, suspensão do direito de dirigir por 12 meses e, nos casos mais graves, prisão. O valor dobra em caso de reincidência dentro de 12 meses.

5. Andar na contramão em BR vira desafio!

Se você participa de grupos de WhatsApp provavelmente já recebeu áudios alertando sobre carros que estariam andando na contramão e acelerando na BR 101, em Santa Catarina.

Contudo, a mensagem alarmista apresenta um roteiro clássico de um boato: sem datas e fontes confiáveis e pedidos de compartilhamento. E se o episódio representa um grade risco a quem trafega por essas rodovias, porque não foi noticiado na mídia ou a Polícia Rodoviária Federal (PRF) tenha  registrado algum caso?

A PRF de Santa Catarina, por sinal, divulgou uma nota informando não possuir registros de condutores circulando na contramão de forma voluntária, motivado por um suposto desafio conforme faz supor o texto abaixo retirado de um áudio no Whatsapp:.

“Sim, é isso mesmo Márcio. O nome desse negócio de vir na contramão com o carro na BR chama dragshot. Faz um ano que começou nos Estados Unidos e faz três meses que está em São Paulo. E agora chegou aqui na região de Itajaí. na verdade, isso é uma aposta que fazem para ver quem dirige mais tempo na contramão.”

6. Câmera acoplada aplica multa em rodovias!

A imagem de um carro da Polícia Rodoviária Federal (PRF) com duas câmeras acopladas ao teto bombou na internet há dois meses e passou a ser propagado a cada feriado.  Segundo a mensagem, a viatura anda no limite da velocidade das rodovias , especialmente as de 60 km/h e 80 km/h, e registra multa se for ultrapassada.

Carro PRF radar móvel-ID000002-1200x800@GP-Web

A PRF já divulgou uma nota esclarecendo isso faz parte de um projeto em teste no Ceará e que não se trata de ‘radares móveis’. Os equipamentos identificam a procedência dos veículos por meio do reconhecimento das placas.

A finalidade, neste caso, é reconhecer veículos com irregularides, como queixa de furto ou roubo, restrição judicial e multas e licenciamentos vencidos. E aí, nesses casos, efetuar a abordagem ao condutor.Confira a mensagem que ainda circula pela internet:

“Foi flagrado na BR um carro da PRF… Ele anda no limite da BR (60 km/h) ou (80km/h). Quando passaram por ele perceberam duas câmeras em cima do carro… Isso significa… Foto-sensor móvel??? Isso mesmo!!! Pardais móveis já homologados e multando. Tiraram uma foto pra mostrar… Passe para os outros grupos, compartilhem”

7. Portaria do Denatran proíbe motos de usarem baú!

Um interpretação errada de uma portaria do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) publicada neste ano suscitou uma notícia equivocada nas redes sociais. O órgão federal teria proibido motocilistas de usarem o baú de transporte.

Na verdade o Denatran baixou a portaria nº 60, de 2017, que substitui os anexos da portaria nº 64/2016, referentes às modificações permitidas em veículos.

A utilização de moto com baú para fim remunerado de carga (motofrete) passa a ser enquadrada como espécie carga e não mais passageiro. Isso obriga a alteração no registro do veículo (de passageiro para carga) e a inspeção veicular no Detran.

Carro PRF radar móvel-ID000002-1200x800@GP-Web

Sendo assim, motocicletas e motonetas que não enquadram-se como transporte remunerado (motofrete) não estão sujeitas as obrigações do anexo 17 da portaria em questão – isso inclui as usadas em viagens, equipadas com malas laterais ou alforges.

Confira a mensagen falsa que circula na internet:

“O Denatran quer proibir motos de usar baú. Sinceramente não sei aonde vamos parar. Estamos largados sem um representante para nós motociclistas. Quer dizer que não posso levar a tranca no baú? Não posso viajar de moto com bagagem no baú e nas malas laterais ou alforges? ”

8. JAC Motors deixará o país!

JAC T40-ID000002-1200x800@GP-Web

Não só não vai deixar o país, como a marca anuncia novos lançamentos para o mercado brasileiro, como o crossover T40 (foto), que chega às lojas neste mês. A mensagem que circulou pela web noticiava o fim das operações da marca chinesa no Brasil, iniciadas em 2011.

E vinha acompanhada da imagem de um cadastro da empresa na Receita Federal, no qual a companhia JAC Motors do Brasil Automóveis SA aparece com status de ‘baixada’. O documento até é oficial, porém leva a uma leitura falsa.

De acordo com o Grupo SHC, responsável pela comercialização dos veículos da JAC no país, a empresa que consta como encerrada foi criada em 2014, a partir de uma join-venture  entre o Grupo SHC e a JAC Motorsna China, para a construção da fábrica na Bahia. Como o projeto não vingou, houve o cancelamento do CNPJ requerido pelo próprio Grupo SHC.

JAC Motors mensagem 3-774-kjRG-U202314108209a7C-1024x905@GP-Web

Grupo SHC já sinalizou para um novo projeto de fábrica, desta vez com recursos 100% nacional, sem a participação da matriz chinesa da JAC, que deve ficar pronto em 2019.

9. Truques para economizar ao abastecer o veículo!

Em época de gasolina com preço nas alturas,  a mensagem no WhatsAppapresentando quatro truques para economizar combustível fez grande sucesso. Mas as dicas não têm fundamento.

whats1

O texto teria sido escrito por um engenheiro que atua há 31 anos numa refinaria, porém não houve identificação do sujeito. Confira os truques e as explicações que os derrubam:

  • Encha o tanque sempre de manhã

A ideia sugerida é de que a temperatura menor ao raiar do dia evitaria que os combustíveis que estão nos tanques dos postos de abastecimento enterrados na terra se expandam menos, influenciando na densidade da gasolina ou do diesel. A conclusão, pela dica postada no Whats, que “aquilo que é um litro na parte da manhã, não é mais isso na parte da tarde”.

Só que os tanques subterrâneos nos postos de abastecimento dificilmente sofrem variações de temperatura ao longo do dia. Quando muito é inferior a 5 graus, o que não é suficiente para alterar significativamente o volume dos líquidos, muito menos propiciar ganho ou perda de combustível.

Outra frase descabida é a temperatura mais amena do motor pela manhã, que poderia favorecer o maior volume de combustível no tanque do carro. No entanto, a temperatura do motor não influencia a temperatura do combustível que está sendo bombeado para o reservatório do veículo.

  • Peça ao frentista para abastecer na velocidade lenta

O motivo, segundo o ‘engenheiro’ que teria feito a postagem, é que nas velocidades média e rápida há uma formação de vapor que acaba contabilizada na hora do abastecimento. Assim, o consumidor pagará por uma quantidade e receberá outra, menor do que o aferido na bomba.

Só que não há nenhum estudo que comprove que a vaporização de um combustível seja maior ou menor conforme a velocidade de seu escoamento e nem que isso influencia no volume do líquido despejado no tanque do carro.

Os medidores de vazão do combustível que registram o quanto será pago no abastecimento ficam localizados, na sua maioria, próximos à bomba e não no bico dosador. E mais, a formação de vaporou bolhas acontece na ponta do dosador, uma vez que nas tubulações de alimentação que levam o combustível à bomba não deve existir a entrada de ar.

Em resumo, seja velocidade lenta ou rápida, o certo é que o consumidor pagará a quantidade de combustível que passou pela bomba – claro, considerando o funcionamento ideal do equipamento de acordo com as normas do Inmetro.

  • Não espere chegar à reserva

Outra lorota sem comprovação científica. A ‘dica’ faz acreditar que quanto mais vazio o tanque, mais ar se acumula, fazendo com que o combustível evapore.

Realmente não é recomendável deixar o tanque atingir sempre a reserva, pois as impurezas depositadas no fundo podem migrar para o sistema de alimentação.

Todo o conjunto que armazena e distribui o combustível é hermeticamente fechado. Com isso há o reaproveitamento do vapor produzido no tanque, gerenciado pelo módulo da injeção.

O gás não se dissipa e sim encaminhado para um reservatório chamado cânister, e de lá retorna ao motor para ser queimado. Ou seja, não há desperdício algum.

  • Não abasteça quando o posto está sendo reabastecido

Essa dica é a única mais se aproxima da verdade, porém não há relação alguma com economia de combustível. A preocupação, no caso, seria com as impurezas que ficam depositadas no fundo do tanque.

Realmente as sujeiras estão presentes, seja no reservatório dos postos ou dos carros. E são provenientes do próprio combustível. Mas não é motivo para ficar neurótico, afinal o automóvel vem equipado com um filtro responsável para peneirar as impurezas do combustível. Por isso, troque-o a cada 10 mil km para manter a saúde do motor em dia.

E se o posto for confiável, livre de adulteração e dentro das normas de montagem e segurança, também trará filtros adequados para as impurezas sólidas que o combustível possa apresentar.

10. Semáforos multam no amarelo!

Semaforo amarelo-ID000002-1200x800@GP-Web

Um áudio viralizou nas redes sociais avisando que o Detran estava calibrando os semáforos no Brasil para registrar (e multar) motoristas que avançassem no sinal amarelo.

É fácil desmascarar a inverdade da notícia. Não há o nome da fonte que teria divulgado essa suposta ‘armação’ do Detran; também não menciona quando esses semáforos começaram a ser calibrados ou quantos deles já foram concluídos  – imaginem o tempo para que tal operação fosse colocada em prática, considerando a dimensão continental do país.

Além disso, o Código Brasileiro de Trânsito não prevê punição para quem avançar o sinal amarelo, apenas para o vermelho (infração gravíssima, com multa de R$ 293,97 e inclusão de 7 pontos na CNH).

Geralmente, o tempo de duração do sinal amarelo é de 3 segundos para vias com velocidades médias de 30 km/h a 40 km/h, porém também pode durar mais dependendo do fluxo de carros do cruzamento, quantidade de pedestres que costumam passar pelo local, entre outras variáveis.

Confira a transcrição do áudio:

“Bom dia pessoal, bom ontem à noite eu coloquei uma mensagem aí sobre o farol amarelo, tá. Então só para deixar o pessoal de aí mais em alerta. Eu peguei um passageiro ontem e o cara trabalha na CET (Companhia de Enegenharia de Tráfego de São Paulo) e ele falou para tomar cuidado com o farol amarelo.

Eles tão calibrando o radar um pouco depois da faixa, ou seja, você vai passar no farol amarelo, mas ao cruzar a faixa ele registrará como se estivesse vermelho. Então assim ó, o farol ficou amarelo, para, porque se não vai tomar multa…”