O presidente da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira, afirmou que não concorda com o fechamento completo do aeroporto, como quer o Ministério Público Federal, e espera apresentar amanhã os seus argumentos para a Justiça de São Paulo. Pereira disse também que não há uma data marcada para a reabertura da pista principal do aeroporto de Congonhas. Segundo o brigadeiro, houve atrasos nos trabalhos de perícia da pista que precisa ser reparada antes de ser liberada. Ele disse que a chuva forte que cai em São Paulo atrapalha a realização no trabalho de recuperação da pista.