O ministro da Justiça, Tarso Gerno, reafirmou nesta quinta-feira (23), em entrevista a emissoras de rádio parceiras da Radiobrás, que a Polícia Federal não tem autorização nem estímulo de seus dirigentes para fazer escuta ilegal.

O estado democrático de direito não pode tolerar desvios dessa natureza quando ocorrem. Se algum agente ou delegado, desviou de suas funções tem que ser severamente punido, defendeu o ministro

No último dia 20, Tarso Genro já havia dito que qualquer escuta ilegal será apurada e exemplarmente punida. O que eu afirmo é que a Polícia Federal faz grampos a pedido do Ministério Público e por determinação do juiz. Esses são os grampos que a Polícia Federal faz. O resto ela não faz e, se alguém fizer em seu nome é, na verdade, uma afronta própria Polícia Federal."

Reportagem da revista Veja desta semana mostra suspeitas por parte de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) de que haveria grampos telefônicos em seus aparelhos. Sem apresentar provas, a revista levanta a suspeita de que teriam sido feitos por pessoas ligadas Polícia Federal.