São Paulo – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem que, caso a proposta de criação de um fundo mundial contra a fome seja concretizada, o Brasil não será incluído entre os países beneficiados. “Não precisamos participar desse programa recebendo ajuda porque nós vamos assumir a responsabilidade de acabar com a fome com as nossas possibilidades, com os nossos recursos, pois temos o que muitos países não têm”, disse, no discurso de abertura da Expo Fome Zero -Brasil Socialmente Responsável, no Expo Center Norte, na Vila Guilherme, em São Paulo.

Lula, que assumiu a Presidência sob o discurso de que há no País 40 milhões passando fome, afirmou que basta “ter juízo” para que as coisas dêem certo no Brasil. “Nós vamos fazer este País dar certo sem precisar pegar dinheiro de fora para combater a fome.” Sobre o esforço para a criação do fundo, ele afirmou que a equipe técnica formada por Brasil, França e Chile iniciará o envio de cartas aos presidentes de outros países para explicar a idéia, que teria como principal medida a cobrança de alguma taxa sobre transações financeiras ou comerciais.

Solução

Os “recursos” para combater a fome dos brasileiros citados por Lula não virão só do governo: “O problema não é do presidente.” Para Lula, a miséria será resolvida com mais participação do empresariado em projetos sociais e uma mudança de mentalidade para “produzir riqueza e justiça ao mesmo tempo”.