Um estudo feito pelo HC (Hospital das Clínicas), da USP (Universidade de São Paulo), revelou que uma em cada cinco vítimas de queda sofreram o acidente em calçadas.

Durante o mês de agosto, dos 197 pacientes atendidos no pronto-socorro do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do centro médico, 35 – ou 18% – contaram ter caído na calçada. Destes, 40% sofreram a queda por causa de buracos na via.

A maioria das vítimas era mulher (77%), mas somente 8,5% delas estavam usando salto alto ao caírem. A faixa etária entre 36 e 50 anos foi a que registrou maior número de acidentes.

A pesquisa também revelou que o entorses são as lesões mais frequentes após uma queda (45%), seguidas de contusões (35%) e fraturas (8,5%).

A estimativa é que um paciente internado devido a queda na calçada custe em média RS 40 mil para o sistema de saúde. “Apesar de 90% dos pacientes terem alta no mesmo dia, há um risco de ocorrerem lesões graves nos pedestres”, explicou o ortopedista Jorge dos Santos Silva.