São Paulo – O tsunami que atingiu o PT com as acusações sobre o mensalão deve provocar mudanças na correlação de forças da legenda, que em setembro realiza seu processo de eleição interna direta (PED). Há um descontentamento da base partidária com o comando do partido, hoje nas mãos do campo majoritário, principal grupo de correntes da sigla com quase 60% dos assentos no diretório nacional – instância máxima do PT.

?A crise é ruim para todos. Mas de certa forma somos (a esquerda partidária) favorecidos por propormos uma alternativa?, avalia o terceiro vice-presidente do PT, Valter Pomar, candidato pela Articulação de Esquerda à presidência petista.

As principais críticas das correntes de centro e esquerda do PT em relação ao campo majoritário são de que a sigla tem sido, desde que Lula assumiu a presidência, uma extensão do governo. Candidato à reeleição, o presidente do PT, José Genoino, do campo majoritário, tem sido acusado de atuar como uma espécie de ?ministro sem pasta?. Mas nas últimas semanas, PT e governo bateram cabeça. Motivo: Delúbio Soares. Enquanto ministros pediram a destituição do tesoureiro, Genoino preferiu preservá-lo por entender que uma eventual licença do posto poderia ser considerada uma declaração de culpa.

São consideradas mínimas as críticas que o PT tem feito ao governo. Até mesmo as políticas de aliança e econômica – motivo de muita briga interna – são apoiadas pelo campo majoritário. Agora, capitaneados pelo ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, o campo começa a falar em maior autonomia do partido em relação ao governo. Alguns deputados e ministros chegaram a sugerir o adiamento do PED, mas a última reunião da executiva petista afastou a hipótese.

Pomar acredita que, para sair da crise, é preciso passar por mudanças na política econômica e de alianças. Para ele, o sentimento de insatisfação vai levar a esquerda a ganhar o PED em setembro. Na pior das hipóteses, acredita que a disputa seria definida em segundo turno, o que poderia levar as outras candidaturas de oposição a Genoino a uma aliança.