Seis funcionários aposentados da Petrobras tiraram a roupa na Praça dos Três Poderes, em frente ao Palácio do Planalto, para exigir isonomia salarial em relação ao pessoal da ativa. Um grupo total de 50 pessoas, a maioria do Rio, reclama que a situação dos cerca de 60 mil aposentados e pensionistas do setor só piorou nos últimos anos. "O governo nos desnudou", disse Jorge Rosa, de 60 anos, um dos que, por alguns minutos, abaixaram a calça e suspenderam a camisa.

O manifestante Luiz Carlos Ferreira Costa, de 67 anos, um dos líderes do protesto, disse que há contrato que garante aos aposentados receberem pelo menos 90% da remuneração de quem está na ativa. "Estamos sendo discriminados", reclamou. "O que era ruim no governo Fernando Henrique piorou no governo Lula." Há cerca de um mês, os aposentados fizeram um manifesto semelhante diante da sede da Petrobras, no Rio de Janeiro.

Antes do protesto em frente ao Palácio do Planalto, os petroleiros visitaram ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Eles cobraram uma posição da Justiça sobre o caso. Os manifestantes não entregaram carta ou tentaram uma audiência com o presidente Lula ou assessores do Planalto.