Foto: Renato Weil/O Estado de Minas

Alckmin: "Lula fica com essas bravatas"

Em mais um round na disputa eleitoral pela Presidência da República, o pré-candidato tucano, Geraldo Alckmin, acusou ontem o presidente Luiz Inácio Lula da Silva de "torturar e violar" a população brasileira.

A declaração, feita em visita ao município de Petrolina, no sertão de Pernambucano, estado natal do petista, foi uma referência ao fato de o presidente ter desafiado a oposição a mostrar, na campanha eleitoral, as "torturas" sofridas por petistas nas CPIs que apuraram irregularidades em seu governo.

"O Lula fica com essas bravatas de que quer ver imagens das CPIs sendo usadas na TV", disse Alckmin. "Ele fala em tortura e tal. Mas quem teve a conta violada foi um caseiro nordestino. E quem sofreu tortura foi todo o povo brasileiro com essa história de cuecão, dólar cubano em caixa de uísque, desvio de dinheiro público e operação sanguessuga", disparou o tucano, ao se referir às declarações feitas pelo presidente na quinta-feira.

Alckmin sugeriu que existe vinculação entre o governo do presidente Lula e os acusados na Operação Sanguessuga, da Polícia Federal, que apura o desvio de recursos públicos com a venda superfaturada de ambulância a municípios.

"Pegaram esse pessoal da Operação Sanguessuga. O governo federal vive, hoje, em uma época jurássica, onde as coisas mais absurdas acontecem", declarou o ex-governador paulista.