No Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, 17 vôos (20,4%) foram cancelados na manhã deste domingo. Das 83 decolagens previstas, oito estão atrasadas em mais de uma hora. Segundo a Varig – responsável por mais de dez cancelamentos – apenas o número dos vôos foi alterado. Segundo a empresa, os vôos cancelados, portanto, foram substituídos por outros com mesmo horário e destino, sem transtorno para os passageiros.

O Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, registra atraso de pelo menos uma hora em quase metade dos vôos programados. Das 119 partidas previstas, 56 não decolaram no horário (47%). Três vôos foram cancelados.

No Galeão, no Rio de Janeiro, 25,5% dos vôos apresentavam atraso até às 10h30, sendo que 14,8% chegaram a ser cancelados. Em Brasília, nenhum vôo foi cancelado, mas 30,4% decolaram com mais de uma hora de atraso. No Aeroporto de Confins, em Belo Horizonte, 42,1% saíram com atraso e 10,5% não decolaram.

No início da manhã, o tempo ruim atrapalhou decolagens no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em Curitiba, mas a operação já voltou ao normal, de acordo com a Aeronáutica. Na capital paranaense, 33,3% dos vôos chegaram a atrasar e 55,5% foram cancelados. Em Porto Alegre, 23,5% de atraso foi registrado e 11 7% não saíram no horário previsto.

No Aeroporto de Florianópolis, que registrava, sábado, o maior percentual de atrasos, a situação continua crítica: 75% de vôos atrasados, mas nenhum cancelamento. Em Belém, neste domingo, o percentual é ainda maior: 85,7% de vôos atrasados, e 7,1% de cancelamentos.