O Ministério do Trabalho vai criar uma comissão de sindicância para apurar fatos relacionados à execução de convêncios firmados com a Associação para Projetos de Combate à Fome (Ágora). A portaria foi assinada, hoje, pelo ministro Ricardo Berzoini.

A Comissão terá prazo de 30 dias, contados a partir da data da publicação da portaria, para concluir os trabalhos. Foram designados para compor a Comissão os servidores Emerson Brandão dos Santos (presidente), Manoel Eugênio Guimarães de Oliveira e Walter Shigueru Emura.

A Ágora, instituição não-governamental, está sendo acusada de fraude. Segundo a revista ?Veja? desta semana, a Ágora teria desviado R$ 900 mil dos cofres públicos destinados a programas estaduais de capacitação de jovens. De acordo com a reportagem, foram encontradas 54 notas fiscais frias de 33 empresas fantasmas.

Nesta segunda-feira, o Tribunal de Contas da União (TCU) iniciou as investigações em todos os contratos da Ágora com o Ministério do Trabalho.

A Ágora é presidida pelo empresário Mauro Dutra, e no período das supostas fraudes, o secretário-executivo da Casa Civil, Swedenberger Barbosa, integrava seu conselho administrativo.

A Ágora atua em projetos de combate à fome e à desnutrição, na implementação do Serviço Civil Voluntário e na promoção do desenvolvimento local.