ja741.jpgO conversível mais poderoso da BMW foi exibido pela primeira vez no British International Motor Show, o salão do automóvel dos britânicos, que aconteceu domingo (30 de julho) em Londres. Sob o capô, um dos motores mais importantes da marca em todos os tempos, vencedor de dois prêmios de excelência.

E não é para menos: o V10 tem 4.999 cm³ de cilindrada, 514 cv de potência, permite que o M6 alcance a velocidade máxima de 250 km/h eletronicamente estabelecida (sem o limite, o carro poderia chegar a mais de 320 km/h) e acelerar de 0 a 100 km/h na casa dos 4,8 s. Isso sem turbo, compressor ou qualquer outro artifício semelhante.

ja742.jpgAo contrário de modelos mais recentes, como o Mazda MX-5 Miata, que se renderam ao teto rígido retrátil, o M6 conversível tem capota de lona. A 320 km/h ou mesmo a 250 km/h, velocidade legalmente permitida nas "autobahnen" alemãs, o trabalho de vedação da marca deve ter sido primoroso, para evitar ruídos e problemas de segurança.

Segundo a montadora, seu câmbio é um "show" à parte: trata-se de um SMG, ou "Seqüential Manual Gearbox", um manual automatizado de sete velocidades com "Drivelogic". Em modo automático, ele oferece cinco marchas, mais longas e econômicas, para condução na cidade. Em modo manual, seis marchas, com relações mais próximas entre si, ele favorece a condução esportiva. O modo de trocas mais rápidas permite mudanças em apenas 50 milissegundos, um tempo que nem pilotos experientes conseguiriam obter com uma caixa de transmissão comum.

Essa é a primeira versão M de um Série 6 conversível e também o primeiro lançamento mundial da BMW num salão britânico. Isso marca a crescente importância de salões até pouco tempo atrás esquecidos, como o de Madri, por exemplo, e o ganho de importância regional. Não estranhe se, em breve, os lançamentos mundiais forem feitos na China. No Brasil, que vem perdendo competitividade internacional, isso deve demorar muito mais tempo para acontecer afirmam os "experts" do setor.