ja812.jpgDepois de liderar por muito tempo o segmento de utilitários esportivos, a Blazer cedeu a liderança para o EcoSport, da Ford. Ícone recente da classe média brasileira, a Chevrolet Blazer despencou na preferência do público. De utilitário-esportivo mais vendido e desejado do Brasil desde que foi lançada, em 1995, ela nem sequer tem conseguido acompanhar o ritmo de vendas do seu concorrente.

Mas a GM do Brasil, para aumentar a participação de mercado da Blazer, vitimada pelo estrondoso sucesso do EcoSport, respondeu com o lançamento da versão especial Advantage, que apresenta uma boa relação custo-benefício. Trata-se de versão despojada para ter preço mais próximo e tentar recuperar mercado.

ja814.jpgÉ bem verdade que o público não enjoa rapidamente de um modelo, razão pela qual a queda da Blazer tem sido fruto de uma sucessão de fatores: o "design", que não é alterado há alguns anos, provocou certo cansaço, o alto preço da gasolina vem derrotando as aspirações de sua versão top de linha, com motor V6 4.3, a versão turbodiesel ultrapassa os R$ 100 mil, o que a coloca no patamar de preços de veículos importados.

Impedida momentaneamente de criar um concorrente tão virtuoso como o carro da Ford, a GMB tratou de criar uma alternativa para tentar abatê-lo. Apanhou sua ex-bem-sucedida Blazer, na versão mais simples, a 2.4 a gasolina (mesmo motor da família Astra com cilindrada aumentada), retirou-lhe boa parte dos dispositivos que compunham um pacote "top" de linha, tornou-a mais acessível e… pronto. Nasceu assim a revigorada Blazer Advantage, bem ao gosto e ao preço do consumidor.

ja821.jpgTanto que, nessa Chevrolet, os vidros são abertos na base da manivela. Trava elétrica nas portas? Não. Bagageiro no teto, rádio, rodas de liga leve? Nem pensar. Só que o preço acompanha o despojamento: R$ 53.030,00 mil. Que tal? Mas a Blazer "peladona" pode ser levemente acrescida de opcionais, na versão batizada como "Full", que incorpora itens de conforto e conveniência e custa cerca de R$ 6 mil a mais. Além disso, a robustez continua sendo imperativa no modelo, assim como sua boa aceitação no mercado de usados. (BN)

OLHO CLÍNICO

ja822.jpgVocê pode dar pesos iguais a todas essas complicações na "vida" recente da Blazer. Mas atribua ao concorrente o principal motivo. Mais barato, gracioso e dotado de uma condução dinâmica mais apropriada ao uso urbano, que tem carroceria monobloco, como os carros de passeio. Contra o chassi da Blazer o carrinho da Ford tornou-se líder de vendas não apenas no segmento de SUVs, mas de toda a legião de utilitários do Brasil.

Mas não desanime: adquirir um carro como a Blazer Advantage não parece tão desalentador: ela fica devendo acionamentos elétricos de espelhos, travas e vidros, mas vem equipada com ar-condicionado e direção hidráulica como itens de série. Além disso, a robustez continua sendo imperativa no modelo, assim como sua boa aceitação no mercado de usados.

ja823.jpgDesempenho

Quem compra uma Advantage não está muito preocupado com o consumo. Acelerar de 0 a 100 km/h em 13 segundos não parece de todo mau. Pelo contrário. Trata-se de um desempenho bem atraente para um carro desse porte, lembrando que ela pesa mais de 1,7 tonelada e o motor 2.4 de quatro cilindros e oito válvulas fornece 128 cavalos de potência.

Durante a avaliação, tanto no trecho entre Curitiba/Toledo e na subida da Serra do Mar na BR-277 na volta do litoral, a Advantage teve desempenho soberbo. Mas se a performance não sai prejudicada, espere até verificar o consumo: 8 km/l na cidade e (apenas) 10,2 km/l na estrada. E nem pense em atingir essa marca se estiver viajando com família e bagagem…

No que diz respeito a conforto interno, as vantagens são claras no aproveitamento de espaço. Grandalhona, a Advantage acomoda muito bem cinco pessoas, embora traga o antigo problema da suspensão traseira mais ríspida, que, por ser elaborada para um veículo de carga (picape S10), construída com eixo rígido e feixe de molas, tem maiores adjetivos na robustez do que no conforto.

A recalibragem executada pela montadora em toda a suspensão da Blazer 2005 denotou sensíveis melhoras no sobe-e-desce dos buracos, em que não se pula mais como nas versões anteriores. E a Advantage está bem ao gosto (e ao preço) do consumidor. Pode conferir. É só realizar o "test-drive" que as revendas oferecem. (BN)

FICHA TÉCNICA

BLAZER GASOLINA 4×2

MOTOR

Modelo: C24SE

Disposição: Longitudinal

Número de cilindros: 4 em linha

Cilindrada (cm 3 ): 2.405

Válvulas: SOHC, duas válvulas por cilindro

Injeção combustível: M.P.F.I. (Multi Point Fuel Injection)

Taxa de compressão: 9,6:1

Potência máxima líquida: 128 cv a 4.800 rpm

Torque máximo líquido: 21,9 kgfm (215,0 Nm) a 2.600 rpm

Combustível recomendado: Gasolina

Rotação máxima do motor (rpm): 6.000

Consumo NBR 7024 (km/l): Cidade: 8,0 – Estrada: 10,2 – Média: 9,1

TRANSMISSÃO

Modelo manual: FSO 1305A

Manual de 5 velocidades à frente sincronizadas

SUSPENSÃO

Dianteira: Independente, braços articulados e barra de torção, amortecedores telescópicos hidráulicos pressurizados a gás

Traseira: Mola parabólica com segundo estágio em batente de cellasto, amortecedores transversais telescópicos hidráulicos pressurizados a gás

Direção: Hidráulica, esfera recirculante

Direção redução: 13,0:1 a 15,0:1

Direção número de voltas (batente a batente): 3,0

Diâmetro de giro (m): 11,7

FREIOS

Tipo: Discos ventilados dianteiros, tambores traseiros, com sistema de freios anti-blocante (ABS) nas rodas traseiras (nas quatro rodas na versão Tornado)

RODAS/PNEUS

Roda tamanho e tipo: 15 x 7 Aço (Colina PDC)

Pneus: 225/75R15 (Colina PDC)

CAPACIDADES

Porta-malas (litros): 435 à 1.715

Carga útil (kg): 745

Tanque de combustível (litros): 70

DESEMPENHO

Velocidade máxima (km/h): 155

Aceleração 0 a 100 km/h (s): 13s0

Aceleração 0 – 400 m (s): 18s7