Enquete realizada hoje com cerca de 350 empresários ligados ao Grupo de Líderes Empresariais (Lide) indicou que 93% pretendem votar no pré-candidato do PSDB, Geraldo Alckmin e apenas 5% no presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Para 51% deles, no entanto, o presidente Lula deverá ser reeleito no pleito de outubro, contra 47% que apostam na vitória de Alckmin. A enquete foi feita em um almoço dos empresários com o ministro da Relações Institucionais, Tarso Genro.

Para Genro, o resultado da sondagem é esperado. Ele disse que é natural "um fórum de empresários ter determinada cultura política e visão ideológica". "Faz parte do contencioso democrático", comentou. Mas não deixou de cutucar os empresários. "Numa reunião de empresários, 90% dizem que votam em Alckmin. Se fizer uma enquete com os trabalhadores que estão servindo naquele ambiente, 90% dizem que votam em Lula. Faz parte da democracia.

O ministro lembrou que nunca viu no Brasil uma base empresarial satisfeita com o governo. A afirmação disse respeito à maneira como os empresários o questionaram sobre assuntos polêmicos, como ética, mensalão e fragilidade das instituições governamentais. Perguntaram até sobre a expulsão de sua filha, a deputada Luciana Genro (PSOL-RS), do PT.

Genro tentou demonstrar descontração com as perguntas feitas pelos empresários. Classificou a reunião como de alto nível e disse que o debate é fundamental para o reconhecimentos das diferenças. "Não foi hostil e sim uma visão diversificada da política", argumentou.

De acordo com os empresários, esta é a primeira vez que a pesquisa mostra a percepção de que o presidente Lula deverá ser reeleito nas eleições gerais deste ano.