Rio – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, pré-candidato a presidente, e o pré-candidato Anthony Garotinho (PMDB), fizeram campanha discreta no Sambódromo do Rio. Já o ex-craque argentino Diego Maradona deu vexame, cortejou mulheres acompanhadas, mas foi saudado coma a figura mais famosa dos camarotes do Sambódromo, num domingo em que celebridades fizeram se ausentaram. Não foi surpresa porque, tradicionalmente, o dia quente dos camarotes é hoje. Ontem (26), mais uma vez, foi só aquecimento.

Alckmin chegou cedo ao Sambódromo, por volta de 23h30, e foi direto para o camarote do vice-prefeito do Rio, Otávio Leite que é de seu partido, o PSDB. Antes, distribuiu sorrisos, mas não falou de política. "Aqui não tem Serra (José Serra, prefeito da capital paulista) ou Alckmin, só pierrô e colombina", brincou Leite, que serviu ao governador um prato típico da culinária carioca, camarão com chuchu.

Depois Alckmin passou pelo camarote do governo do Estado onde teve um rápido encontro, a portas fechadas, com Garotinho, marido da governadora Rosinha Garotinho (PMDB).

Já no camarote da Brahma, Maradona chegou aprontando, cercado de seguranças, embora parecesse sóbrio. Entusiasmou-se com a Unidos de Vila Isabel (que cantou a América Latina), ao lado do ator Reinaldo Gianechini, cortejou a bela Mel Brito, madrinha de bateria da Caprichosos de Pilares e mulher do presidente da agremiação, Paulo de Almeida (que, confiante, deixou que ela mesma desse um fora no jogador) e depois voltou para a área vip do camarote.

Lá fora, Daniela Cicarelli e Raica Oliveira, a ex e a atual do craque Ronaldo faziam malabarismos para não se encontrarem, enquanto outros jogadores, como Edmundo (comportadíssimo) e Jairzinho, aproveitavam a mordomia da fábrica de cervejas que tem como tema da decoração a Copa do Mundo.