Três mil toneladas de alimentos devem ser colhidas neste ano em hortas caseiras e comunitárias e pequenas roças urbanas de Curitiba. A estimativa é da Secretaria Municipal do Abastecimento que desenvolve programas de agricultura urbana numa área de cultivo de 280 hectares, beneficiando diretamente 6.900 pessoas.

Os programas de produção agrícola incentivam e apóiam o aproveitamento racional e organizado de vazios urbanos com lavouras de subsistência. Hortaliças, plantas medicinais, milho, feijão e outros alimentos são cultivados, tanto para consumo das próprias famílias como para comercialização.

A maior parte da produção corresponde ao projeto Lavoura, que durante esse ano irá proporcionar às 531 famílias participantes uma renda per-capita de R$ 500,00. "Atrás de toda essa produção existem objetivos muito mais amplos", afirma o gerente de Produção Agrícola da Secretaria do Abastecimento, Edson Rivelino Pereira.

Já o programa Nosso Quintal é voltado para a produção de hortas em quintais de residências, escolas, hospitais ou clinicas e asilos. Além do incentivo ao cultivo de hortaliças, o programa também trabalha questões relacionadas a práticas pedagógicas, conceitos de educação alimentar e terapia ocupacional. "O Nosso Quintal tem uma função maior que produção e renda. Ele é uma ferramenta de múltiplos fins", afirma Pereira.

A prefeitura fornece toda assistência necessária para implantação de hortas e pequenos plantios. Insumos, técnicas de preparo de solo e de plantio, avaliação prévia e acompanhamento da produção do local são as ferramentas oferecidas no começo do programa.

Cada grupo tem o apoio institucional pelo prazo de um ano, que só poderá continuar caso haja rotatividade de pessoas. "Não queremos manter clientelismos e sim oferecer o conhecimento para que as pessoas continuem a produção independente do poder público", declara Edson Pereira.