Rio – Quatro escritores estarão disputando, amanhã (4) à tarde, a cadeira de número 19 da Academia Brasileira de Letras (ABL), que pertenceu a Marcos Almir Madeira, morto em conseqüência de um aneurisma cerebral no dia 19 de outubro do ano passado. As inscrições foram abertas em 21 de outubro de 2003 e encerradas em 19 de novembro.

Concorrem à nova vaga de imortal a antropóloga Maria Beltrão (doutora em Arqueologia e professora da Universidade Federal Fluminense); o romancista, poeta, ensaísta, critico literário, pesquisador e conferencista Domício Proença Filho (autor de livros como ?Estilos de Época na Literatura? ?1978 ? ?O cerco Agreste? ? 1979 ? e ?Oratório dos Inconfidentes? ? 1989 -; o professor, doutor em letras e editor de poesias Antônio Carlos Secchin (que tem, entre suas obras, ?Guia Comentado dos sebos das cidades do Rio de Janeiro e São Paulo? ? 2001 ? ?Civilização Brasileira? ? 1983 ? e ?João Cabral: a poesia do menos? ? 1999 -, além do jornalista e ex-deputado federal Márcio Moreira Alves (?Brava Gente Brasileira? ? 2001 ? ?68 mudou o mundo? ? 1993 ? e ?Histórias do Brasil Profundo? ? 2003.

Fundada por Alcindo Guanabara e tendo como patrono Joaquim Cardoso, a cadeira de número 19 da Academia Brasileira de Letras foi ocupada, ainda, por Silvério Gomes Pimenta; Gustavo Barroso; Antônio da Silva Mello; e Américo Jacobina Lacombe.