O último dia para a entrega das declarações do Imposto de Renda (IR) foi marcado por mais um protesto contra a alta carga tributária. O movimento De Olho no Imposto promoveu um ato público no centro de São Paulo para registrar a milionésima assinatura no abaixo-assinado que será entregue ao Congresso Nacional pedindo transparência na cobrança de impostos indiretos.

O alfaiate Manoel da Costa Sobrinho, de 50 anos, foi quem registrou a assinatura de número 1 milhão. "Foi simbólico, mas importante. Quando tomei conhecimento do quanto pagamos de imposto, tive vontade de interferir de alguma forma", disse.

Costa Sobrinho é microempresário e deixa a declaração do Imposto de Renda por conta de um contador. Como não precisa se preocupar com prazos, não sabia qual era a data-limite para declarar.

Mas nem todo mundo estava nessa tranqüilidade. Hoje (28), faltando apenas meia hora para terminar o prazo, o contabilista Israel Corrêa ainda não havia concluído a declaração dos clientes que deixaram para última hora. Um deles foi o médico Rogério Scaptini. Ele jurava ter entregue os documentos em fevereiro, mas estava enganado. "Liguei para o contador para ver se seria restituído e descobri que meus documentos não estavam lá." Scaptini entregou o material no fim da tarde de quinta-feira. "Se não fosse minha curiosidade, teria perdido o prazo."

Abaixo-assinado – O movimento De Olho no Imposto é uma ação conjunta de várias entidades, como a Associação Comercial de São Paulo e a Força Sindical, para pressionar o Congresso a regulamentar a lei que prevê medidas para informar o consumidor sobre a tributação indireta. O movimento passou por 22 cidades e até o dia 1º de maio pretende chegar a 1,5 milhão de assinaturas coletadas.