Quase todo encenado com técnicas aéreas como cordas, trapézios e panos, estréia amanhã no Fringe o espetáculo Presépio das Hilariedades Humanas, adaptação de Marcus Vinícius para textos de Ariano Suassuna. Na montagem da Brasil no Palco e Cia. Ilimitada, de Brasília, sete tipos essencialmente brasileiros descobrem que estão mortos, prestes a acertar as contas com Deus. De amanhã a domingo no Barracão da FAP, com horários variados

Para crianças

Deixar os filhos em casa no Festival de Teatro de Curitiba, só à noite. A Pérola da Virtude, da Companhia de Teatro Sonho & Magia é um dos nove espetáculos infantis que não deixarão as crianças sem cultura e diversão nesta edição da mostra. A peça conta uma fábula sobre o resgate das virtudes e valores morais, muitos deles caindo hoje no esquecimento. O uso das artes cênicas na educação tem sido cada vez mais constante e eficaz. Não há dúvida que as crianças assimilam muito mais as idéias quando estas são transmitidas com caretas, vozes engraçadas, tombos e cambalhotas. Se tudo isso for composto com figurinos coloridos e um cenário de encantamento, o resultado é garantido. De sexta a domingo no Teatro Paulo Autran.

Nova versão

O espetáculo infantil O Bobo que Virou Rei, em cartaz de hoje até Sexta na Casa Vermelha, da companhia Casa da Arte, é o resultado de uma pesquisa feita a partir do livro A Psicanálise dos Contos de Fadas, de Bruno Bettelheim. O conto escolhido foi A Bela Adormecida, que simboliza a passagem da criança se preparando para entrar na adolescência. É nessa fase que surge a consciência do que é o amor. Mas, fugindo da tradição, a peça reserva algumas surpresas. Tudo começa na festa em que o pai da Bela Adormecida dá em seu castelo com o objetivo de encontrar o príncipe encantado que vai acordar a sua filha. Será o príncipe aquele que desvendar o obscuro enigma deixado pela bruxa: “O que é um fogo que arde sem se ver, uma ferida que dói e não se sente?”. Para decifrar o enigma, surgem os convidados da festa, que são diversos personagens do imaginário infantil. Assim, em O Bobo que Virou Rei encontram-se Emília e Batman, o Charada e a Medusa, a Deusa Vênus e, não podemos esquecer, é claro, o Bobo da Corte, o anti-herói por natureza que torna-se o protagonista. A estréia nacional acontece no Festival de Teatro.

Fantasias

Stela e Álvaro formam um casal disposto a tudo para espantar a rotina de um casamento de longa data. Essa sutil e muito divertida crítica aos pudores e tabus relacionados ao tema, faz com que Fantasias Conjugais, de Moacir David, ganhe o mérito de incentivar o diálogo a respeito, pois as fantasias vividas pelo casal provocam o imaginário dos espectadores e o tom cômico do espetáculo facilita a abordagem do assunto através dos comentários entusiasmados da platéia. As tentativas, os erros e acertos e as situações hilariantes espantam o constrangimento e os papéis mais libidinosos ganham naturalidade, fazendo erotismo virar comédia e vice-versa. Um excelente programa para os casais dispostos a tornar seu casamento mais divertido, pois bom-humor e criatividade dão sinais de inteligência e interesse pelo(a) parceiro(a). Na Sala Londrina do Memorial de Curitiba até domingo.

Clownesse

A cia. Humatriz Teatro, de Campinas-SP, convida o público curitibano para um peculiar espetáculo da atriz paranaense que ganhou os palcos do Brasil. O espetáculo A-ma-la – O Projeto Clown e sua Poética. A peça tem o compromisso de fazer rir e poetizar a relação humana. É um espetáculo único no Brasil por se tratar de um solo feminino de clown. A peça aborda o universo feminino em cena e a atriz Adelvane Néia, pesquisadora da técnica de clown há 14 anos, conta que “é difícil encontrar referência de palhaças na tradição circense e, mais raro, é encontrar a figura não estereotipada do feminino no Brasil”.O projeto é desenvolvido em vários estados brasileiros com grupos de teatro, empresas, entidades e projetos como a UPI (Unidade de Palhaçada Intensiva) técnica de clown aplicada em ambiente hospitalar. Hoje às 15h e amanhã às 21h no Teatro Londrina.

Sessões extras

Algumas peças do Festival de Teatro de Curitiba terão sessões extras: As Nuvens e/ou um Deus Chamado Dinheiro hoje às 22h; Filosofia na Alcova terá uma nova sessão domingo, às 22h, no Sesc da Esquina. Fausto, que será apresentado no Teatro Paiol, terá nova sessão domingo às 23h. No Fringe, a peça A Casa das Sete Monetes terá sessões extras sábado e domingo às 2h30, no Espaço Cultural Odelair Rodrigues. A peça Transe, da Cênicas Companhia de Repertório, não será apresentada hoje, sendo substituída por Um Gesto por Outro. Os ingressos de Transe valem para a substituta. A peça Esta Noite Choveu Prata terá apresentação extra sexta-feira, às 18h, no Auditório Antonio Carlos Kraide.