Um mundo de outra galáxia cujos habitantes são carrapatos. O sonho de quase todos eles é ir para o mundo dos carrapatos fantasmas, considerado um paraíso. Enquanto isto não acontece, os carrapatos utilizam catapultas como meio de transporte em um mundo que não tem automóvel ou bicicleta.

Esta é a história da animação Carrapatos e catapultas, de Almir Correia, professor do departamento de Comunicação e Expressão do campus Curitiba da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Ele foi um dos vencedores do projeto AnimaTV, da TV Cultura e TV Brasil, em parceria com o Ministério da Cultura. Correia foi o único representante paranaense inscrito no projeto.

A animação recebeu R$ 950 mil para a produção de 12 episódios, com duração de 11 minutos cada um, para exibição mensal nas emissoras de televisão. Todo o trabalho de montagem da série será realizado por duas equipes de produção paranaenses.

Os roteiros ficam a cargo do próprio Correia. Ele já escrevia histórias infantis e veio a ideia de unir as palavras carrapato e catapulta, por suas sonoridades. A intenção começou a ganhar corpo até surgiu um piloto de animação.

O professor participou das oficinas do projeto AnimaTV para gabaritar o próprio trabalho. “Ficamos entre 30 selecionados de 256 inscritos. Em São Paulo, a animação foi defendida em uma banca com especialistas e eles comentaram que eu nunca tinha feito animação. Respondi que isto era verdade, mas que iríamos fazer um que atrairia crianças, adultos e eles também”, comenta Correia.

Os episódios devem começar a ser exibidos no final deste ano na TV Cultura e na TV Brasil. O professor acredita que este seja um primeiro passo para a criação de um núcleo nesta área no Paraná.

“O Estado não tem um curso de formação em animação. Considero esta oportunidade como um upgrade e muitas portas podem se abrir”, revela. A animação Carrapatos e catapultas originalmente visa o público entre 10 e 12 anos. No entanto, Correia relata que muitos adultos gostam da produção, que pode acabar atingindo todas as faixas etárias.

A animação conta as histórias dos carrapatos, que querem comer até explodir para poder chegar ao paraíso. Mas isto é um pano de fundo para a abordagem de outros temas, como as drogas, o lixo, as relações familiares.

“Queremos que seja algo bem crítico. Pode parecer meio louco, mas também está falando sério. Só que tudo é tratado com muito humor”, garante Correia. Além de Carrapatos e catapultas, a animação Tromba trem, do Rio de Janeiro, conseguiu o prêmio máximo do projeto AnimaTV.

Mais informações sobre a produção paranaense no blog carrapatosecatapultas.blogspot.com.