Três novas oportunidades de fomento de espetáculos e shows nas áreas do teatro, música e literatura já estão disponíveis para os artistas brasileiros. Por meio da Fundação Nacional de Artes (Funarte), foram criados caminhos para a seleção de obras na XVIII Bienal de Música Brasileira Contemporânea, para o Prêmio Funarte Carequinha de Estímulo ao Circo e para o Prêmio Luso-Brasileiro de Dramaturgia.

Promovido em parceria com o Instituto Camões, a Direção Geral das Artes e o Teatro Nacional D. Maria II, de Portugal, o Prêmio Luso-Brasileiro de Dramaturgia tem o objetivo de impulsionar a escrita dramática em língua portuguesa, incentivar o surgimento de novos autores e reforçar a cooperação entre Brasil e Portugal.

Podem concorrer ao prêmio textos teatrais originais de todos os gêneros e para todos os públicos, criados por dramaturgos brasileiros ou portugueses. Além de receber recompensa no valor de 15 mil euros, o autor escolhido terá seu texto editado em livro e encenado no Brasil e em Portugal.

Já o Prêmio Funarte Carequinha de Estímulo ao Circo, apoiará companhias, empresas, associações trupes ou grupos circenses a adquirir equipamentos, produzir espetáculos, realizar pesquisas, promover mostras e festivais e ainda homenagear artistas que tenham contribuído para o desenvolvimento do circo, assim como George Savalla Gomes, o palhaço Carequinha.

“O carequinha morreu a pouco tempo, foi um extraordinário palhaço com uma enorme carreira, tornou-se um líder da categoria. Nada mais justo do que receber o nome do prêmio”, afirma o coordenador de música erudita do Centro de Música da Funarte, Flávio Silva.

O processo seletivo está aberto aos projetos de todas as regiões brasileiras. Ao todo, R$ 2,7 milhões serão distribuídos em prêmios que beneficiarão 103 participantes. O investimento total é de R$ 2,9 milhões.

Divulgação
O Prêmio Funarte Carequinha de Estímulo ao Circo tem o objetivo de apoiar grupos circenses.

Os projetos concorrentes devem estar inscritos em uma das seguintes categorias: circo itinerante, trupes e grupos, formação, eventos, pesquisa e mérito artístico. Já para a XVIII Bienal de Música Brasileira Contemporânea, será feito um edital para seleção de que estarão na programação da XVIII Bienal, programada para outubro e novembro de 2009, no Rio de Janeiro.

O evento, de âmbito nacional, acontecerá na cidade do Rio de Janeiro, entre 23 de outubro e 1.º de novembro. Ao todo, serão apresentados 10 concertos, cada um deles com oito a dez músicas.

“Não existem privilégios para artistas do Rio de Janeiro ou de qualquer outra localidade. Qualquer artista pode se inscrever e apresentar seu trabalho. Sabemos que a maioria dos trabalhos vem de áreas mais influentes da música clássica, mas, a cada ano, verificamos um crescimento de artistas e de obras vindas de regiões com pouca história na música clássica”, relaciona Silva.

Podem se inscrever no processo seletivo compositores brasileiros natos, naturalizados ou residentes no Brasil há pelo menos três anos. As obras propostas passarão pela análise de uma Comissão de Seleção formada por sete integrantes, que irão definir quais trabalhos estarão no programa.

Além disso, a Comissão poderá conceder até quatro prêmios de R$ 6 mil a autores que tenham participado de nenhuma ou de, no máximo, duas edições do evento. Maiores informações sobre os projetos e seus editais através do site www.funarte.gov.br.