A Mostra Internacional de Cinema, tradicional evento do calendário cinematográfico do país, que acontece de 20 de outubro a 2 de novembro em São Paulo, celebra sua 30.ª edição com um grande prêmio para o cinema brasileiro.

É o Prêmio Petrobras Cultural de Difusão, num valor total de R$ 600 mil. Serão entregues um prêmio de distribuição no valor de R$ 400 mil para um longa de ficção e outro no valor de R$ 200 mil para um longa documentário. O prêmio, o maior já concedido em um festival de cinema no país, foi criado pela Petrobras em comemoração aos 30 anos da mostra.

Serão concorrentes todos os longas brasileiros a serem exibidos na 30.ª Mostra, inéditos em circuito comercial. Os vencedores serão eleitos por votação popular. Serão contabilizados os votos dados pelo público em quatro sessões de cada filme. No ano passado, a 29.ª Mostra exibiu 50 longas e 18 curtas-metragens brasileiros. O Troféu Bandeira Paulista, outorgado pelo júri internacional da 29.ª Mostra, foi concedido pela primeira vez a um longa brasileiro: Cinema, aspirinas e urubus, de Marcelo Gomes.

Retrospectiva

Ao contrário dos anos anteriores, em que a mostra reuniu a obra completa de grandes cineastas, na 30.ª edição o evento se debruça sobre um gênero: o cinema político italiano dos anos 60s e 70s, conhecido na Itália como ?cinema de empenho civil?. Serão exibidos filmes dos cineastas representativos da época, como Marco Bellochio (De punhos cerrados; A China está próxima), Bernardo Bertolucci (Antes da revolução), Ettore Scola (Feios, sujos e malvados; Nós que nos amávamos tanto), Dino Risi (Esse crime chamado justiça), irmãos Taviani (Os subversivos), Francesco Rosi (O caso Mattei, mãos sobre a cidade) e outros.

Por conta da retrospectiva, vem a São Paulo como convidada da Mostra Florinda Bolkan, atriz brasileira radicada na Itália, que foi uma das musas desse gênero e participou do filme Investigação sobre um cidadão acima de qualquer suspeita (1970), de Elio Petri, presente na retrospectiva. Florinda participará também do júri da 30.ª Mostra.

Livros

Junto com a retrospectiva, a 30.ª Mostra publica o livro O Cinema Político Italiano – anos 60 e 70, organizado por Álvaro Machado e Leon Cakoff e editado pela Cosac Naify. O livro reúne uma série de entrevistas realizadas por duas pesquisadoras de cinema italianas, Angela Prudenzi e Elisa Resegotti, ligadas à Cineteca de Roma e ao Museu de Cinema Italiano em Turim.

O outro livro a ser lançado durante a 30.ª Mostra, Cinema sem fim, trará um histórico das três décadas do evento e será publicado pela Imprensa Oficial do Estado.

O público poderá obter informações sobre a programação e os eventos da 30.ª Mostra Internacional de Cinema no site www.mostra.org, no ar por volta do dia 10 de outubro, ou na Central da Mostra, que será instalada no Conjunto Nacional no dia 9 de outubro. Os ingressos da mostra estarão à venda nas salas de exibição, pela internet ou na central, único local onde será realizada a venda de pacotes promocionais. Os preços ainda não estão definidos. O público poderá adquirir ingressos unitários, pacotes de 20 ou 40 ingressos, permanente integral (dá direito a todas as sessões) ou permanente especial (direito a sessões até as 17h55).

Central da Mostra

A Central da Mostra no Conjunto Nacional (Av. Paulista, 2.073, esquina com a Rua Augusta), ao lado da Livraria Cultura e do Cine Bombril, ficará aberta para informações de 9 a 13 de outubro, das 12h às 18h.

Para a venda de ingressos, a central funcionará de 14 de outubro a 2 de novembro, das 10h às 21h.