McCartney vai abrir festival português hoje.

Quarta-feira à noite, ele cantou em Gijón Espanha, abrindo uma turnê controlada que só vai percorrer 13 afortunadas cidades da Europa. “Nós amamos você, Paul”, dizia o cartaz que a garota segurava na frente do Estádio El Molinón, com um submarino amarelo na base. Hoje (28) é o dia do Rock in Rio Lisboa e, como era de se esperar, Paul McCartney não divide a noite com ninguém. É o soberano da jornada desta sexta-feira.

Trinta e três anos depois da dissolução dos Beatles, Macca vai cantar amanhã exatamente 33 músicas de todas as fases de sua carreira, incluindo Beatles, Wings e as canções-solo, em duas horas e meia de show. Foi assim em Gijón, onde 25 mil pessoas viram o cantor e sua banda: Rusty Anderson e Brian Ray, nas guitarras; Wix Wickens, nos teclados; e Abe Laboriel Jr, na bateria.

Macca fez cinco bis na sua primeira apresentação. “Prontos para o rock and roll?”, ele perguntou, e mandou bala com “Jet”, de sua fase no grupo Wings. Depois, vieram “All My Loving”, “Let me Roll It”, “She’s a Woman”, “Live and Let Die”, “Yesterday” e “Hey Jude”. É pouco? Ele também entoou, a capela (sem acompanhamento musical) o clássico “Yellow Submarine”, acompanhado por um coro de 25 mil vozes.

McCartney dedicou “Here Today” ao velho parceiro John Lennon, e também cantou “All Things Must Pass”, composta pelo outro beatle morto, George Harrison.

Sábado, em Lisboa, Peter Gabriel, Ben Harper, Gilberto Gil, Jet e Rui Veloso iniciam a maratona de 70 shows do Rock in Tejo, como foi apelidado o festival. É uma edição mais modesta do que as cariocas: em 1985, no primeiro Rock in Rio estiveram lá 1 milhão e 380 mil pessoas. Agora, são esperados 600 mil espectadores.

Pela TV, estima-se que 2 milhões de pessoas assistirão ao festival. Mais de mil jornalistas de 23 países se credenciaram para a jornada, que vai até o próximo fim de semana. Os direitos de transmissão foram vendidos para 46 países da China à Nova Zelândia.

Em termos artísticos, há bons atrativos no Rock in Rio além de Paul McCartney. No dia 4, a noite “pesada” traz o Metallica (que cancelou apresentação no Brasil recentemente), Slipknot, Sepultura e Moonspell. A noite novidadeira (domingo) traz as revelações Evanescence e Kings of Leon, além de Foo Fighters. Britney Spears, turbinada como nunca, canta no dia 5, na mesma noite de Daniela Mercury e seu trio elétrico eletrônico. Alicia Keys, diva recente do R&B, canta na última noite, a mesma de Ivete ‘Vai Rolar a Festa’ Sangalo.

Um grande sucesso da última edição do Rock in Rio no Brasil, a Tenda Raízes, de world music, vai se repetir em Lisboa começando amanhã com o músico Rão Kyao. Outras atrações são os Gaiteiros de Lisboa e o guitarrista parisiense-vietnamita Nguyên Lê.

Entre os eletrônicos, os destaques são os DJs espanhóis Michel de Hey e Angel Molina.