enkontra.com
Fechar busca

+ Pop

Oficina de Música apresenta Ópera Barroca no Clube Concórdia

  • Por Jornalista Externo

Pela primeira vez na programação da Oficina de Música de Curitiba, o curso Ópera Stúdio de Música Barroca conta com 40 alunos vindos de todo o Brasil e, nesta quarta-feira (17), às 19h, apresenta o resultado do trabalho desenvolvido sob o comando de Carlos Harmuch, Nicolau de Figueiredo e Marília Vargas. O espetáculo acontece no Clube Concórdia, tendo no repertório árias das óperas "Rinaldo", de Georg Friedrich Händel; "Calisto", de Francesco Cavalli; e "L?Incoronazione di Poppea", de Claudio Monteverdi.

O curso, que reúne cantores líricos interessados em aprofundar conhecimentos do universo da música barroca, aborda técnicas interpretativas para um repertório escolhido a partir de fontes históricas. Nesta apresentação, 28 alunos atuam como solistas e os demais integram o coro. Entre os participantes, destaque para Itauana Ciribelli, de Fortaleza (CE), que esteve entre as finalistas da última edição do programa Fama (Rede Globo), e o paulista Danilú, revelação do programa de Raul Gil.

A classe de Ópera Stúdio de Música Barroca permite que profissionais e iniciantes na música erudita aperfeiçoem técnicas com nomes consagrados nessa área. O brasileiro Carlos Harmuch – que atualmente vive na Suíça -,atualmente vive na Su Brasilil.es dessa ana Ciribelli, de Fortalezanos da Oficina da M depois de estudar arquitetura e música, dedicou-se inteiramente à direção cênica para óperas. Desde 1987 é docente na Musikhohschule Basel (Suíça) e atua como diretor convidado em produções de diversas casas de ópera na Suíça, Alemanha, Espanha, Rússia e Brasil.

Harmuch tem participações em importantes festivais de música em todo o mundo. Também responde pela preparação de cantores de ópera na Opernklasse da Schola Cantorum Basiliensis, Opera Studio de Strassburg e no Atelier Opera Fribourg. Entre suas encenações mais importantes estão "Platèe", de Rameau; "Zauberflöte" de Mozart; "Arianna" de Benedeto Marcello; La Cechinha, de Piccini, "Orfeo ed Euridice", de Glück, registrada pela TVE do Brasil; e "Carmen", de Bizet, filmada pela televisão russa.

Marília Vargas, que reside na Suíça, é formada pela Schola Cantorum Basiliensis, com mestrado em Lied na classe de Christoph Prègardien (Conservatório de Zurique). Com ascendente carreira na Europa e no Brasil, apresenta-se regularmente com diversas orquestras e ensembles europeus, como La Capella Reial de Catalunya e Jordi Savall. Seus últimos compromissos incluíram a Missa da Coroação de Mozart, com o Ensemble Le Parlement de Musique; a Bachiana Nr. 5 de Villa-Lobos, com Antônio Meneses, no Thèatre Royale de Versalhes; e a estréia de uma cantora paranaense como solista no Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

Nascido em São Paulo, Nicolau de Figueiredo iniciou seus estudos musicais na cidade natal, especializando-se no Conservatório Superior de Musica de Genebra (Suíça), com os professores Christiane Jaccottet (cravo) e Lionel Rogg (órgão). Recebeu o "1º Prix de Virtuosité de Clavecin", em 1984, conquistando no mesmo anoo primeiro lugar no "Concours International de Clavecin", em Nantes.

Em 1985, foi vencedor do "Concorso Internazionale di Roma". Na seqüência, finalizou seus estudos de cravo com Scott Ross. Nicolau de Figueiredo foi durante muitos anos diretor musical da Classe de Ópera na Schola Cantorum Basiliensis, em Basel (Suíça). Freqüentemente colabora em produções com René Jacobs, Christophe Coin e Michel Corboz, e apresenta-se regularmente em concertos por toda a Europa e América do Sul. Atualmente, Nicolau de Figueiredo é professor do Conservatoire National de Paris (França)

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas