A Editora Prumo lança, este mês, o título Consciência emocional – Vencendo os obstáculos em busca do equilíbrio emocional e da compaixão, um diálogo emocionante entre dois importantes pensadores contemporâneos: Dalai Lama ePaul Ekman, psicólogo inovador, cujo trabalho ajudou a definir a ciência das emoções. A obra é apresentada por Daniel Goleman outro grande escritor epsicólogo norte-americano, pesquisador das emoções humanas.

O livro leva o leitor a partilhar das reflexões feitas durante encontros dos dois pensadores, realizados a partir de 2006, sobre temas como ciência e espiritualidade, os laços entre o Oriente e o Ocidente, bem como a natureza e a qualidade da nossa vida emocional.

Eles tentam responder a questões centrais da experiência emocional humana, como: Quais são as origens do ódio e da compaixão? Deve-se ter compaixão por um torturador? Isso seria biologicamente possível? Qual a diferença entre raiva, ressentimento e ódio? Como reconhecer e evitar cada um deles? De onde surgem esses sentimentos e que malefícios eles podem nos causar?

“Aplicando diferentes perspectivas – a oriental e a ocidental, a espiritual e a científica, o budismo e a psicologia -, Dalai Lama e eu procuramos esclarecer essas contradições e iluminar alguns caminhos que possam levar uma vida emocional equilibrada e ao sentimento de compaixão capaz de se disseminar pelo planeta”, afirma Ekman no prefácio da obra.

Ao acompanhar o diálogo animado e desafiador, a interação dos autores e os comentários sobre as conclusões levantadas, o leitor é levado a uma viagem transformadora, que incentiva profunda meditação e compreensão das emoções. Uma viagem em busca de equilíbrio entre o ponto de vista científico e o espiritual.

“Apesar de nossas diferenças, descobrimos um importante denominador comum em nossos pontos de vista. Temos em comum o compromisso de tentar diminuir o sofrimento humano, uma intensa curiosidade e a convicção de que poderíamos aprender um com o outro”, afirma Ekman em sua introdução sobre a obra. Segundo ele, as conversas apresentadas são “um desdobramento do que setornou uma intensa amizade ao longo das quase 40 horas que passamos explorando essas questões”.