A 62.ª edição da Fiaf- Federação Internacional de Arquivos de Filmes, será realizada em São Paulo, a partir de hoje, marcando a primeira realização do evento no País. A federação foi fundada em Paris, em 1938, e tem hoje 120 instituições ligadas a ela, representando um total de 65 países. No Brasil, apenas a Cinemateca Brasileira sediará o evento – e o MAM (Museu de Arte Moderna) do Rio, são ligados à Fiaf.

De hoje a 29 de abril, centenas de participantes de diversos arquivos do mundo se debruçarão sobre questões ligadas à preservação e restauração de filmes. A abertura oficial será realizada hoje, na Cinemateca. A partir de amanhã, dia 24, acontecerão diversos encontros na Cinemateca, que contarão com tradução simultânea.

Além disso, quatro workshops serão realizados na Cinemateca, nos dias 26 e 27. São eles: ?Copyright: Definição do fair use? (dia 26, das 9h às 12h), ?Situação do patrimônio fílmico ibero-americano? (dia 26, das 14h às 18h), ?Projetos de digitalização nos departamentos de documentação dos arquivos de filmes? (dia 27, das 9h às 12h) e ?Blowin?? in the Wind: Gerenciamento de arquivos em uma época de mudanças? (dia 27, das 10h às 12h).

O simpósio que discutirá ?O futuro dos arquivos de filmes em um mundo do cinema digital: arquivos de filmes em transição? será realizado no Cinesesc (dias 24 e 25, das 9h às 17h), sala de cinema capacitada a projetar filmes, em película e digital. No mesmo local, será realizada mostra de filmes de Joaquim Pedro de Andrade com exibição de películas restauradas pela Cinemateca Brasileira e Teleimage. Será a primeira exibição da obra restaurada do diretor.

Uma segunda mostra de cinema será realizada: a mostra ?Lost and Found? permitirá ao público conhecer trabalhos de restauração realizados por arquivos de todo o mundo. Afinal, serão selecionados títulos que eram considerados perdidos, mas que foram encontrados e recuperados na última década. As projeções desses títulos acontecerão na Cinemateca, entre os dias 24 e 30 de abril.

Uma terceira mostra cinematográfica acontecerá no Cine Olido, de 18 a 23 de abril ?Pérolas do Acervo da Cinemateca Brasileira?. Serão exibidos onze títulos estrangeiros.

Alguns deles foram exibidos raríssimas vezes, outros são poucos conhecidos do grande público e alguns são totalmente inéditos no circuito comercial de São Paulo. Integram a programação, por exemplo, O teto, de Vittorio De Sica e O sol enganador, de Nikita Mikhalkov.

Outra programação será apresentada no Sesc Pompéia: será uma exposição interativa, que contará com o uso de diversos equipamentos e mídias, e que abordará a trajetória da Cinemateca relacionada à evolução da técnica no cinema. Cinco blocos representarão diferentes fases dessa história, indo do cinema mudo ao sonoro, do preto e branco ao colorido chegando ao digital. O público poderá interagir através de projetores, câmeras, mock-ups e outros equipamentos. Haverá ainda uma mostra de cinema. O mote será o aniversário da Cinemateca e terá como nome ?Cinemateca Brasileira: 60 Anos em Movimento?.

E, na própria Cinemateca haverá uma exposição fotográfica também em comemoração aos seus 60 anos de trabalho: ?60 anos de Cinemateca Brasileira?.

O congresso é aberto ao público. A taxa de inscrição inclui participação no simpósio, Fórum do Segundo Século, workshops e ingressos para projeções. O valor é de R$ 200,00 por pessoa. Professores, estudantes, pesquisadores e técnicos em arquivos pagam R$ 100,00.

A inscrição pode ser feita pelo site da Cinemateca www.cinemateca.org.br ou através do email fiaf2006@cinemateca.org.br / telefone: 5084.2177.