expo2.jpgNo dia 8 de maio de 2005 foi comemorado o Dia Mundial do Super 8. Há exatos 40 anos, essa bitola foi lançada pela Kodak, transformando-se no mais acessível meio para o registro de imagens caseiras, em um tempo no qual câmeras de vídeo portáteis representavam um artigo de luxo desconhecido pela grande maioria da população mundial.

Até o início da década de 80, o formato manteve o fôlego no Brasil, já que os filmes utilizados para os registros eram encontrados em qualquer loja de artigos fotográficos, e existiam laboratórios que realizavam o processo de revelação. Com o fechamento destes estabelecimentos e a paralisação da fabricação de filmes no país, o formato sofreu um grande golpe nas fronteiras brasileiras.

A 1.a Mostra de Super 8 do Festival de Cinema, Vídeo e Dcine de Curitiba tem como finalidade criar um novo espaço para filmes produzidos no formato, para que o público tome conhecimento da riqueza cultural da cinematografia nacional em suas variadas formas, e assim preservar e difundir a memória de filmes que tiveram imensa importância para que o cinema brasileiro encontrasse sua linguagem.

As exibições serão no dia 29 de outubro, no Sesc da Esquina, a partir das 10 horas. O espaço também conta com uma exposição que reúne vários objetos relacionados ao Super 8, e que pode ser visitada ata o dia 29 (segue foto em anexo). A projeção será seguida pelo debate ?Os Rumos do Super 8? (17h30).

A coordenação desta Mostra é de Leandro Bossy Chip. Crédito da foto: Irene Roiko/ Divulgação

Confira a programação da Mostra:

Primeira Sessão ? 10h
Exit, de Cristian Schneider (RS)
Projeção, de Marcos Bertoni (SP)
Terra do Silêncio, de Marco Scarassatti (SP)
Life City, de Lucas Vega (SP)
Shiva, de Cristian Schneider (RS)
Bagagem Hermética, de Fernando Lamanna (SP)
 
Segunda Sessão ? 14h
Virtual, de Cristian Schneider (RS)
No Fundo do Poço, de Marcos Bertoni (SP)
Caminhar É Preciso, de Lucas Vega (SP)
Real de Catorce, de Aparecida Pfaifer (SP)
Aluminosa Espera do Apocalipse, de Fernando Severo e Rui Vezzaro (PR)
 
Terceira Sessão ? 16h
Cocô Preto, de Marcos Bertoni (SP)
Noite, de Sérgio Concilio e Vera Senise (SP)
Preto & Branco, de Cristian Schneider (RS)
Geóides, de Sérgio Concilio e Vera Senise (SP)
Às Filhas de Sarath, de Leandro Bossy Schip (PR)
Manequim 37, da Oficina de realização em cinema dos Invasores da Tela 2003
Cenas que Gostamos de Ver, de Sérgio Concilio e Versa Senise (SP)
Pandora, da Oficina de realização em cinema dos Invasores da Tela 2004
Derrepente numa Tarde, da Oficina de realização em cinema dos Invasores da Tela 1998