“E nessa loucura / De dizer que não te quero / Vou negando as aparências / Disfarçando as evidências / Mas pra que viver fingindo? / Se eu não posso enganar meu coração / Eu sei que te amo!”. Quem nunca cantou a plenos pulmões este grande hit de Chitãozinho & Xororó, seja no karaokê ou numa festa? Não adianta negar! Desde que foi lançada, no início dos anos 1990, a música Evidências é sucesso absoluto entre os brasileiros. Mesmo passado o auge do sertanejo no país, a canção continua na boca do povo e até ganhou status de “hino cult” nos últimos anos, mostrando que o sertanejo pode sim superar a barreira do gênero e conquistar até quem torce o nariz para esse estilo musical.

Foi pensando nisso que a dupla resolveu batizar sua nova turnê com o nome da música. E o novo show, que estreou em São Paulo no último final de semana, chega a Curitiba já neste sábado, para uma apresentação única no Teatro Positivo. Aliás, a canção é só motivo de orgulho para os veteranos. “Desde o início, acreditamos nesta música e ver como ela seguiu quase que com vida própria é muito legal. Já foi regravada inúmeras vezes, até em outros idiomas”, diz Xororó, em entrevista à Tribuna do Paraná. “A letra é muito simbólica, atemporal e que toca a todos. Além disso, quando cantamos, colocamos muita emoção e isso também influencia (no sucesso da canção)”, completa Chitãozinho.

Repertório variado

No repertório do show, além de Evidências, é claro, estão muitos outros sucessos da dupla, como No Rancho Fundo, Fio de Cabelo, Nuvem de Lágrimas, Fogão de Lenha e Chovendo na Roseira. Aliás, com tantos hits consolidados ao longo da carreira, como escolher quais deles vão entrar no repertório de uma turnê? A dupla responde: “É um trabalho fácil e difícil ao mesmo tempo (risos). Graças a Deus, temos músicas marcantes e importantes que não podem ficar de fora, mas sempre tem aquela que gostaríamos de incluir e não cabe”, avalia Chitãozinho.

E Xororó garante que, mesmo que o setlist seja o mesmo para muitos shows, cada um deles é especial para a dupla. “Parece clichê, mas os shows nunca são iguais, mesmo se tocarmos o mesmo repertório. Tem local que vibra com determinada música e, em outro, não temos a mesma reação. Por conta disso, sempre é diferente, a energia muda com o público”, diz. Para quem quiser participar de mais um momento emocionantes desses, ainda dá tempo. Os ingressos estão à venda pelo Disk Ingressos e variam de  R$ 140 (meia-entrada) a R$ 600 (inteira), dependendo do setor.