Gilberto Gil, Betânia, e outros nomes famosos da MPB são alguns dos artistas que compõem o CD.

No ano do seu centenário, o frevo ganha mais uma homenagem com novos arranjos e interpretações de grandes artistas da música popular brasileira como Maria Bethânia, Lenine, Gilberto Gil e Ney Matogrosso. A Prefeitura do Recife, em parceria com a gravadora Biscoito Fino, lançará no dia 9 de fevereiro, dia em que o frevo comemora 100 anos, o CD duplo 100 anos do frevo. É de perder o sapato, sendo um cantado e outro instrumental.

A iniciativa faz parte de uma série de projetos e ações que a administração municipal está desenvolvendo pensando no ritmo sob seus diversos aspectos: preservação e difusão, estudo, apoio aos compositores, intérpretes e às agremiações carnavalescas. ?Queremos fortalecer e promover o frevo em todo o mundo como expressão musical capaz de ser reconhecida internacionalmente por sua imensa riqueza sonora?, afirma o prefeito do Recife, João Paulo.

Para fazer a direção musical e artística do CD, a Prefeitura do Recife confiou missão ao compositor Fernando, responsável pela revitalização do ritmo no início dos anos 80s com a organização de uma série de discos intitulada Asas da América. Colocou uma seleção de estrelas para frevar como Chico Buarque, Alcione, Lulu Santos, Gilberto Gil, Jackson do Pandeiro, Elba e Zé Ramalho, Geraldo Azevedo, Fagner e Alceu Valença. ?Este trabalho do CD 100 anos de frevo é riquíssimo sob todos os aspectos: técnico, artístico, estético e também do ponto de vista da musicalidade, com composições antigas e novas. O frevo vai ganhar, com certeza, um presente belíssimo e vai dar um passo a mais para que se torne ainda mais conhecido e absorvido nacional e mundialmente?, declara Carlos Fernando.

Os arranjos estão nas mãos de uma seleção composta por notáveis maestros pernambucanos: Clóvis Pereira, Spok e Edson Rodrigues. Os grandes clássicos do ritmo que é a marca do Carnaval pernambucano já estão sendo gravados por 16 artistas entre os quais estão Lenine, Maria Bethânia e Gilberto Gil, que imprimem suas vozes no cd ?cantado?. O outro será composto por 14 frevos instrumentais consagrados, como Última dia, de Levino Ferreira, Frevo da meia-noite, de Clóvis Pereira, e Passo de anjo, de João Lira. Um grande show na Praça do Marco Zero está sendo preparado para o lançamento do CD Duplo, no dia 9 de fevereiro.

Para o repertório, Maria Bethânia escolheu Frevo n.º1, de Antônio Maria, Ney Matogrosso promete uma grande interpretação de Me segura senão eu caio (J. Michiles), além de Vanessa da Mata, que não abriu mão de interpretar um dos seus frevos favoritos, De chapéu de sol aberto, composto por Capiba. Gilberto Gil cantará Micróbio do frevo, de Genival Macedo e Edu Lobo, Frevo Diabo, composto por ele em parceria com Chico Buarque.

Luís Melodia irá interpretar Último regresso, de Getúlio Cavalcanti, e Geraldo Azevedo, Tempo folião, dele e de Carlos Fernando. Ainda estão presentes Alceu Valença, com Homem da meia-noite, composição dele e de Carlos Fernando; Silvério Pessoa, com Atrás do trio elétrico, de Caetano Veloso e Lenine sobe ao palco com Energia, do parceiro de composições Lula Queiroga. Completam a homenagem Antônio Nóbrega, com Evocação n.º 1, clássico de Nelson Ferreira; Geraldo Maia que canta Frevo n.º 3, de Antônio Maria; e Claudionor Germano interpreta Madeira que cupim não rói, outro clássico do frevo, do mestre Capiba.

Elba Ramalho empresta sua voz para Frevo rasgado (Bruno Ferreira e Gilberto Gil) e Nena Queiroga, junto a Vanessa Oliveira, Lígia Miranda e Rosana Simpson interpretam Aurora de amor (Maurício Cavalcanti) e Bom danado (Luis Bandeira). Ainda para ser confirmada a presença de Maria Rita, que já escolheu o frevo Valores do passado, de Edgard Moraes.