São 26 anos desde que uma garota de longos cabelos lilases precisou ser salva de poderosos vilões pela primeira vez. Mas isso não impediu que ela fosse, de novo, capturada. E de novo, de novo, de novo… O constante apuro de Saori em nada diminuiu a força do anime (desenho animado japonês) e do mangá (história em quadrinho nipônica) “Cavaleiros do Zodíaco”. A estrutura das histórias se manteve a mesma desde quando passavam nas tardes na extinta TV Manchete, época em que mais fizeram sucesso por aqui: a mistura de mitologia grega, lutas sangrentas e raios capazes de destruir pedras. Mas a idade não atrapalhou. O cavaleiro de Pégasus Seiya e sua turma continuam com toda força.

Os cavaleiros tiveram seu cosmos reanimado no ano passado, com o lançamento do jogo para Playstation 3 “Cavaleiros do Zodíaco: Batalha do Santuário no Japão”, nos 25 anos desde que as histórias de Masami Kurumada chegaram à TV japonesa. Os anos passaram, mas a franquia ainda se mostra poderosa. Em junho, o game chega aqui – o Brasil será o primeiro país da América Latina a receber o jogo – numa parceria entre a japonesa Bandai com a Sony e a Zap Games, legendado em português. Um mimo para o mercado brasileiro, ainda fã da série. “É difícil fazer um jogo de um anime com tantos fãs e atender a todos”, contou o produtor japonês do game, Ryo Mito.

O analista Eduardo Vilarinho, de 30 anos, líder do fã-clube que reúne 115 mil membros ativos no site www.cavzodiaco.com.br, foi o responsável pela tradução de mais de 500 termos e nomes para o português no game, de acordo com a série clássica de 1994 da Manchete. “Foi naquela época que eu comecei a ver. Era uma febre. A diferença é que eu nunca parei”, diz Vilarinho. Será por sua causa que os fãs verão o famoso ‘meteoro de Pégasus’ no jogo.

Ainda no Japão, um novo desenho vem sendo exibido desde abril, sob a chancela “Cavaleiros do Zodíaco Ômega”. O enredo se passa alguns anos depois da saga clássica, com Seiya, Shiryu, Hyoga, Shun e Ikki, quinteto que literalmente dava suas vidas para proteger Saori, a tal garota de cabelos lilases, encarnação de Atena, deusa da mitologia grega. “Estão tentando rejuvenescer a franquia”, diz outro fã, Walter Neto, de 29 anos. “Mas esse novo desenho tem se mostrado mais infantil que o outro”, avisa ele, que assiste aos episódios pela internet. As informações são do Jornal da Tarde.

“Batalha do Santuário”

Bandai / Zap Games

Preço: R$ 179,90