O Brasil não poderia ter sorte melhor na definição das chaves da terceira fase do Mundial de Vôlei, que está sendo realizado na Itália. Afinal, a seleção dirigida por José Roberto Guimarães escapou das tradicionais equipes da Rússia e dos Estados Unidos e terá pela frente a China e a República Dominicana. O técnico, porém, adotou discurso cauteloso e destacou ser necessário pensar em um duelo de cada vez.

“Temos que continuar pensando jogo a jogo. Vamos enfrentar, primeiro, a China que joga com muita velocidade e tem feito um excelente campeonato. Daqui para frente, cada partida será uma final”, afirmou, ressaltando que um tropeço agora pode significar a eliminação do Brasil no Mundial.

A China, adversária da próxima quarta-feira em Milão, avançou em segundo lugar no Grupo E, com seis vitórias e uma derrota. Já a República Dominicana rival da sexta-feira, foi a terceira da mesma chave, com cinco triunfos e dois tropeços. “A República Dominicana também fez jogos muito bons e chega motivada para essa fase. Nosso grupo vai continuar trabalhando forte para conseguir os objetivos”, finalizou Zé Roberto.

Os dois primeiros colocados da chave se classificam para as semifinais do Mundial, torneio em que o Brasil está invicto, com nove vitórias em nove partidas. Atual bicampeã olímpica, a seleção ainda busca o seu primeiro título da competição. Em 1994, 2006 e 2010, a equipe foi derrotada na decisão e acabou sendo vice-campeã mundial.