A Williams não deve usar o Kers, sistema de recuperação de energia cinética, no GP da Austrália, que abre o Mundial de Fórmula 1 no dia 29 de março. Segundo um porta-voz da equipe, os testes realizados até agora não foram suficientes para convencer a equipe a utilizar o dispositivo, que estreia nesta temporada, mas com uso opcional.

O Kers aproveita a energia desperdiçada nas frenagens e a transforma numa dose extra de potência, que pode ser utilizada em alguns segundos a cada volta. É uma das novidades da temporada, junto com a volta dos pneus slick e a reforma aerodinâmica dos carros.

O problema é que o dispositivo aumenta o peso dos carros, além de ser de difícil desenvolvimento – várias equipes registraram problemas nos primeiros testes. “Está claro que não usaremos o Kers no GP da Austrália, e ainda não está claro quando poderemos usá-lo”, admitiu a equipe.